Pérez credita experiência na McLaren como fator decisivo para seguir com Force India em 2017: “Era o mais seguro”

Sergio Pérez admitiu que ficou perto de deixar a Force India neste ano por conta de problemas durante as negociações entre seus patrocinadores e a equipe. Ainda assim, o mexicano se convenceu de que ficar no time indiano era uma opção mais segura

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Sergio Pérez revelou que esteve muito perto de deixar a Force India, quando as negociações tomaram um rumo complicado durante a temporada 2016. Porém, no fim das contas, decidiu mesmo que o melhor era permanecer na equipe para o próximo ano. 

 
O mexicano teve o nome ligado a uma possível transferência para a Renault, ao mesmo tempo em que seus patrocinadores discutiam termos de um novo acordo com a esquadra indiana. "Chegou uma hora me que eu realmente pensei em deixar o time", disse Pérez à revista inglesa 'Autosport'. 
 
"Houve um momento em que as negociações não estavam indo bem. Mas a minha meta era a de ficar por mais um ano. Neste negócio, você nunca se sabe. Até assinar e anunciar, tudo pode acontecer e eu já tive essa experiência antes", completou.
Sergio Pérez era alvo de desejo de pelo menos três equipes do grid (Foto: Force India)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Pérez ainda afirmou que "houve algum interesse de outras equipes, não apenas da Renault". E que esse interesse realmente aumentou sua confiança. "Queria agradecer a todos por, como piloto, sentir que outros times estão interessados é muito especial. Houve muito interesse de pelo menos três ou quatro equipes, então foi muito legal. Mas o melhor para o meu futuro é ficar onde estou", acrescentou.

 
Por fim, o mexicano admitiu que a experiência na McLaren em 2013 também o ajudou na escolha de seguir com os indianos. "Não quero tomar uma decisão errada de novo, então essa foi uma opção mais segura. Ainda tenho 26 anos e acredito que tenho bons anos pela frente, então vamos ver o que acontece com essa nova geração de carros", encerrou.
 
Pérez terá a seu lado em 2017 o jovem Esteban Ocon, que estreou na F1 neste ano, defendendo a Manor. O francês foi o escolhido para ocupar o lugar deixado por Nico Hülkenberg, que optou por assinar com a Renault para o campeonato que vem.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube