Por ligação com Honda, chefe da McLaren admite chance de ter piloto japonês, mas descarta Kobayashi

Após acordo com Honda, Martin Whitmarsh admitiu a possibilidade de o time de Woking contar com um piloto japonês. Chefe da McLaren, entretanto, descartou Kamui Kobayashi

As imagens da quarta-feira no F1 em Monte Carlo
Acompanhe a cobertura do GP de Mônaco no GRANDE PRÊMIO
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Martin Whitmarsh, chefe da McLaren, admitiu a possibilidade de a equipe buscar um piloto japonês no futuro. Em uma entrevista no Centro de Tecnologia da McLaren, o dirigente falou que “seria bom” contar com um nipônico, mas descartou Kamui Kobayashi na lista de possíveis candidatos. Na semana passada, o time de Woking anunciou que terá motores Honda a partir da temporada 2015 da F1.
McLaren descartou Kobayashi na lista de pilotos nipônicos candidatos a uma vaga no time (Foto: Sauber)
Kobayashi estreou na F1 no GP do Brasil de 2009, substituindo Timo Glock. Depois disso, o nipônico disputou duas provas pela Toyota e outras 58 pela Sauber. No fim da temporada passada, Kamui perdeu sua vaga para Esteban Gutiérrez, e assinou com a Ferrari para representar a equipe AF Corse na categoria GTE Pro do Mundial de Endurance.
 
“Se nós efetivamente procurarmos um piloto japonês, seria um piloto com potencial para vencer o campeonato”, declarou. “E isso, na minha opinião, significa um piloto que passou pelas fileiras estabelecidas desde o primeiro dia – um piloto que possamos desenvolver”, continuou o dirigente.
 
Por fim, Whitmarsh também falou sobre os rumores de que a McLaren vai voltar a usar a cor laranja e declarou que isso não é impossível. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube