Räikkönen diz que “não faz sentido chorar” e insiste em acidente de corrida em Sóchi. Bottas ainda discorda

Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas tiveram de repassar o acidente da última volta no GP da Rússia, em Sóchi, há duas semanas. Os dois mantiveram seus discursos. Enquanto o ferrarista ainda entende que o incidente não passou de um toque de corrida, o finlandês da Williams ainda culpa o compatriota pela perda dos pontos e do possível pódio

Colocados em bancadas diferentes na sala de coletiva da FIA nesta quinta-feira (22) em Austin, Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas não escaparam das perguntas sobre o acidente no GP da Rússia e  tiveram de repassar novamente a batida em que se envolveram na última volta da prova disputada há quase duas semanas. E os dois mantiveram o discurso daquele domingo, quando ambos perderam a chance de ir ao pódio.
 
No giro final da prova em Sóchi, Räikkönen perseguia Bottas pelo terceiro lugar, depois de ambos terem superado Sergio Pérez. O campeão de 2007 acabou acertando o piloto da Williams na freada da curva 4. O toque jogou Valtteri na barreira de proteção do outro lado da pista, enquanto Kimi conseguiu levar a Ferrari, mesmo avariada, até a bandeirada. 
O toque entre Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas na volta final (Foto: Reprodução)
Por conta da colisão com o compatriota, o finlandês da Ferrari foi punido com o acréscimo de 30s ao seu tempo total de corrida e acabou caindo de quinto para oitavo na classificação geral.
 
Ainda assim, Räikkönen voltou a insistir que o incidente não passou de um toque de corrida e que algumas disputas de pista são assim mesmo. Não há nada que a lamentar. “Houve uma discussão e fui punido, mas isso não muda a historia”, afirmou o ferrarista aos jornalistas.
 
“Infelizmente, nos acertamos, ambos saímos perdendo, mas é a vida. Não me sinto mal por isso e, se alguém se sente, está OK para mim”, completou.
 
“Eu tentei frear da maneira que pude, mas não houve como evitar. O que posso fazer? Talvez ele não esperasse que eu estivesse ali, talvez não tenha me visto. Percebi que não tinha espaço e que íamos colidir. Estamos aqui para correr e não faz sentido chorar depois. Faz parte”, acrescentou o finlandês.
 
O compatriota Bottas, evidentemente, manteve sua opinião contrária. Valtteri tem uma visão um pouco menos fria do que aconteceu na volta final em Sóchi. “Para mim, é o mesmo de duas semanas atrás. Foi um bom fim de semana até a última volta. É uma pena perder os pontos, mas nada muda, não sinto que tenho de fazer algo diferente”, afirmou o piloto.
 
“Acho que ainda é interessante para vocês da imprensa, nem tanto para nós. Do meu ponto de vista, a primeira manobra foi bem diferente, bem mais clara a chance. Eu, como piloto, não ia deixar a porta aberta duas vezes. Para mim, foi bem diferente”, encerrou o nórdico da Williams.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube