Red Bull acusa Mercedes de lóbi e pede isolamento dos comissários durante corridas

Christian Horner, chefe da Red Bull, afirmou que os comissários precisam ficar incomunicáveis até o fim das corridas e acusou Toto Wolff de lóbi

Hamilton resiste após batida com Verstappen e vence GP da Inglaterra (Vídeo: Reuters)

As reclamações com relação ao GP da Inglaterra do último fim de semana ainda reverberam para diversas áreas. Não apenas a Red Bull não gostou da manobra de Lewis Hamilton, mas também afirmou que a Mercedes fez lóbi com os comissários enquanto a responsabilidade da batida era discutida. Foi o que afirmou o chefe da equipe dos energéticos, Christian Horner, que ainda ofereceu uma solução: que os comissários da FIA fiquem trancados durante as corridas.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Horner disse ter escutado no rádio, após ele próprio fazer diversas reclamações com o diretor de provas da FIA, Michael Masi, que Toto Wolff também interpelou Masi e recebeu como resposta um encorajamento para ir falar com os comissários. Horner foi atrás e também se encontrou com os representantes-técnicos da FIA, mas acha que nada disso deveria ser permitido.

“Eu vi que Toto estava fazendo lóbi com os comissários, ouvi que ia acontecer e fui lá também para ter certeza de que nossa visão [do acidente] fosse representada. Não acho que seja certo que chefes de equipe possam ir aos comissários para fazer lóbi”, disse.

Batida entre Hamilton e Verstappen marcou GP da Inglaterra (Foto: Reprodução)
Paddockast #112: As principais mudanças nos carros de F1 e o que esperar da próxima geração?

“Eles [comissários] deveriam ficar trancados para não serem influenciados. Para mim, é inaceitável que ele tenha ido até lá fazer lóbi. Quis me certificar que as opiniões apresentadas fossem balanceadas, em vez de influenciadas para pressionar os comissários a darem uma sentença inferior. Ninguém deveria poder ver os comissários durante um GP”, opinou o chefe da Red Bull.

Wolff defendeu a posição que tomou. “O pessoal me disse que teve um ataque no rádio para Michael falando sobre toda a maldade do mundo, então fui lá dar a minha opinião. Já fui até os comissários muitas vezes”.

Já Masi deixou claro que não vê qualquer problema em conversar com os comissários durante a corrida.

“Se tivermos um incidente, convidamos equipes e pilotos para virem depois da corrida e aparecerem na frente dos comissários. É um dos elementos que os comissários têm. Em Monza, ano passado, Lewis foi até eles para entender [a punição que sofreu] e enxergar o panorama completo. Não há razão para não fazer isso”, finalizou.

Agora pegando fogo, a Fórmula 1 volta no fim de semana do dia 1º de julho, na Hungaroring, com o GP da Hungria.

Confira 6 pilotos que estão fora da F1 e cabem no grid da Indy | GP às 10

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar