F1

Ricciardo cobra evolução da Renault, mas evita críticas: “Até porque não sei criar uma asa”

Daniel Ricciardo não está feliz com as atualizações aerodinâmicas da Renault, que não rendem o efeito desejado. O australiano ainda não perde a paciência, mas percebe uma sensação amarga dentro da garagem

Grande Prêmio / Redação GP, de Porto Alegre
Daniel Ricciardo não está plenamente satisfeito com o ritmo de desenvolvimento da Renault na temporada 2019 da Fórmula 1. Não é nem por conta do criticado motor francês, que acabou agradando Ricciardo, mas sim por causa do efeito limitado dos pacotes de atualização da aerodinâmica do carro. Daniel ainda não sente necessidade de fazer críticas pesadas, mas reconhece decepção com a falta de avanço ao longo das últimas etapas.
 
“É engraçado, porque era o oposto nos meus anos de Red Bull. O chassi era desenvolvido rapidamente, mas a unidade de potência ficava para trás”, recordou Ricciardo. “Esse ano, com a Renault, eu fiquei bem feliz com o aspecto da unidade de potência, com as atualizações e o progresso. Com o chassi, achamos algumas coisas desde o começo do ano, mas nada muito grande. É claro que, do ponto de vista do piloto, você sempre quer mais. Você quer mais até estar no topo da tabela de tempos”, destacou.
Daniel Ricciardo quer uma Renault com atualizações mais eficientes (Foto: Renault)
“Nós certamente esperávamos mais com a atualização da França, mas não conseguimos muito. Ficou uma sensação de que ficamos devendo dentro da equipe. Não quero parecer legal demais, mas eu não quero chegar e dizer ‘que porra vocês estão fazendo?’ porque eu não consigo criar uma asa dianteira por conta própria. Mesmo assim, espero que as próximas atualizações sejam mais significativas”, cobrou.
 
Desde a introdução de atualizações na França, Ricciardo pontuou apenas uma vez, isso em um espaço de quatro corridas. Nico Hülkenberg teve vida melhor, mas não tanto – o top-10 veio apenas em duas das quatro, incluindo o acidente em Hockenheim. A presença inconstante na zona de pontos tem impacto negativo no Mundial de Construtores: não só a McLaren disparou – 70 pontos contra 39 – como também a Toro Rosso ultrapassou ao conseguir pódio com Daniil Kvyat, levando aos 42 tentos. Dessa forma, a escuderia de Enstone aparece em sexto um ano após fechar a temporada em quarto.
 
A próxima chance da Renault na temporada da F1 é no GP da Hungria. A corrida no Hungaroring é já nesta semana.
 

 
Paddockast #26
Acidentes que alteraram carreiras


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.