Ricciardo relembra mudança em 2018 e admite pensar em seguir na Red Bull “até o fim”

Daniel Ricciardo explicou a mudança que surpreendeu o mundo automobilístico em 2018. O australiano trocou a Red Bull pela Renault, mas ficou na dúvida se era uma boa ideia

No meio da temporada de 2018, Daniel Ricciardo surpreendeu o mundo automobilístico ao assinar contrato com a Renault, deixando a Red Bull, que conta com um dos carros mais competitivos das últimas temporadas. A mudança para uma equipe que há anos não figura os principais nomes da Fómula 1 gerou alguns questionamentos, inclusive na cabeça do próprio australiano, que ficou tentado a renovar com a escuderia dos energéticos.

“Vou ser honesto, houve dias em que eu fui Red Bull, dias em que fui McLaren e dias em que fui Renault. Em qualquer um desses dias, eu estive bem em todas as três equipes”, disse Ricciardo, entrevistado pela revista GP Racing.

Porém, o dono do carro #3 admitiu que, antes da mudança acontecer, esteve perto de permanecer na Red Bull e mudou de ideia apenas para ter um dia a dia diferenciado.

“Para ser honesto, Red Bull esteve na minha cabeça até o fim. Eu continuei indo e voltando, pensando, ‘ah, talvez eu apenas fique onde eu já conheço'”, declarou.

Daniel Ricciardo ficou por três anos na Red Bull, antes de seguir para Renault. Na temporada passada, firmou contrato com a McLaren (Foto: Beto Issa)

Ricciardo foi para a Renault, onde passou apenas duas temporadas, sem muito destaque. Agora na McLaren, Ricciardo abriu a temporada de 2021 pontuando nas duas etapas até aqui: enquanto no GP do Bahrein ficou com a sétima colocação, em Ímola, lutou e chegou em sexto. Já é cotidiano, mas o australiano fala em, às vezes, se “beliscar” para se dar conta de que é realmente um piloto de F1.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Estando na F1, é difícil se afastar e realmente refletir sobre esses momentos. E se eu fizer isso, como agora, se eu voltar para quando era criança e pensar em tudo isso, é meio que me beliscar – como cheguei aqui, literalmente falando sobre a McLaren, ser um piloto, porque é muito louco”, ressaltou.

“Às vezes não gosto de pensar muito nisso, porque é um pouco demais. Mas é realmente bom ser capaz de olhar para trás, porque sou muito grato por estar nesta posição. Quando eu era criança, eu nunca teria pensado que estaria aqui”, finalizou.

A próxima oportunidade de Ricciardo é no GP de Portugal. A corrida em Portimão acontece dentro de duas semanas, em 2 de maio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube