Sem enxergar benefícios reais, F1 desiste da ideia de reintroduzir reabastecimento na temporada 2017

Após reunião do Grupo de Estratégia, a F1 abandonou a ideia de reintroduzir o reabastecimento a partir da temporada 2017. Avaliação apontou que sistema diminuiria número de ultrapassagens na pista e também não resultaria em uma grande variação de estratégias

Os chefes da F1 desistiram da ideia de trazer de volta o reabastecimento a partir a temporada 2017. A ideia foi levantada em maio, mas descartada na quarta-feira (1), após uma reunião do Grupo de Estratégia.
 
Na avaliação do grupo, o reabastecimento teria pouco efeito prático, uma vez que reduziria o número de ultrapassagens na pista e não resultaria em uma grande variação de estratégias.
F1 abandonou a ideia de reintroduzir o reabastecimento (Foto: Red Bull/Mathias Kniepeiss)
Com o reabastecimento descartado, Bernie Ecclestone agora propõe um tipo diferente de congelamento dos motores. A ideia do britânico de 84 anos é impor um limite superior para desenvolvimento do propulsor e permitir que as fábricas que não chegaram a essa marca continuem trabalhado para evoluir.
 
A proposta permitiria que Renault e Honda, que no momento estão atrás da concorrência em termos de performance, pudessem alcançar Mercedes e Ferrari. A fábrica germânica, no entanto, não gostou da ideia.
 
 A reunião do Grupo de Estratégia aprovou algumas mudanças na F1. Com apoio unânime, a ajuda eletrônica aos pilotos será limitada ou banida, com efeito já a partir do GP da Bélgica deste ano. O foco será principalmente nas largadas, isto é, os pilotos vão ter de usar apenas embreagem, freio e acelerador ao começar as corridas.
 
Chefe da Mercedes, Toto Wolff destacou que os pilotos são os astros do show e, por isso, devem ter mais responsabilidade.
 
“Os pilotos são os protagonistas do show, então vamos devolver mais alguma responsabilidade para os pilotos”, disse Toto. “Nós queremos mais variedade e menos previsibilidade. Para atingir isso, talvez deva ter uma abordagem menos científica das corridas, com o piloto mais responsável por sua corrida”, seguiu.
 
“O que é viável para Spa é reduzir ao mínimo”, indicou. “O que não foi viável, vamos preparar para 2016”, anunciou.
 
A partir do próximo ano, informações como pressão e temperaturas dos pneus e condições dos freios estarão disponíveis apenas no painel do carro, sem que os pilotos recebam os dados via rádio.
 
Os dirigentes também debateram uma mudança no formato do fim de semana, com a introdução de uma corrida menor no sábado, além da prova principal no domingo.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube