Pérez diz que seria difícil, mas “conseguiria segurar” Russell no fim do GP de Sakhir

Sergio Pérez tinha na retina o erro estratégico cometido pela Racing Point no GP da Emília-Romanha e tinha certeza de que, em Sakhir, a história seria diferente. O mexicano chegou a ser perseguido por George Russell antes de o britânico ter de fazer um pit-stop inesperado por conta de um pneu furado. Mas o vencedor do domingo garante que tinha carro para segurar a pressão

Sergio Pérez assumiu a liderança do GP de Sakhir do último domingo (6) na volta 63, durante o período de bandeira amarela ocasionado pelo acidente leve sofrido por Jack Aitken, da Williams. Naquele momento, a inacreditável trapalhada da Mercedes nos trabalhos de pit-stop derrubou George Russell para a quinta colocação, mas o britânico, um dos grandes nomes da prova no Bahrein, reagiu de forma incrível e, na volta 72, já estava em segundo e passou a pressionar ‘Checo’. George ficou a pouco mais de 2s atrás do mexicano quando, na volta 79, teve de fazer outro inesperado pit-stop por conta de um furo de pneu.

A situação inesperada ocorrida com Russell nas voltas finais do GP de Sakhir levantou uma dúvida: seria possível Pérez segurar o ímpeto da Mercedes #63 no desfecho da prova? O mexicano garante que sim.

Sergio Pérez garante que venceria em Sakhir mesmo com George Russell logo atrás (Foto: Racing Point)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Em entrevista coletiva pouco depois de ter conquistado um feito ímpar na sua carreira de 190 GPs na Fórmula 1, o piloto da Racing Point lembrou um duro revés sofrido no GP da Emília-Romanha, em Ímola, quando a equipe de Silverstone o chamou para uma troca de pneus quando estava em terceiro lugar, situação que o fez perder um pódio que parecia garantido. E ressaltou que, em Sakhir, tinha certeza de que a história seria diferente. E para melhor.

“Acho que, obviamente, depois do que aconteceu em Ímola, quando fizemos a escolha errada e parar durante o período de safety-car, tínhamos muito claro o que queríamos fazer aqui. Estávamos muito confiantes de que conseguiria relargar com aqueles pneus e chegar ao fim com um bom ritmo”, explicou Pérez.

O mexicano largou com pneus macios, mas depois de ter sido acertado por Charles Leclerc no incidente na primeira volta, que fez com que o monegasco e Max Verstappen abandonassem a prova ali no início, Pérez foi aos boxes para colocar pneus médios. Sua segunda parada aconteceu na volta 47. Desde então, ‘Checo’ rodou outras 40 voltas com os pneus duros antes de cruzar a linha de chegada na frente.

Russell, por sua vez, estava com um jogo usado de pneus macios entre as voltas 63 e 78, quando ameaçou Pérez na luta pela vitória.

Na visão do latino-americano, mesmo que Russell continuasse a pressioná-lo na fase final da prova, daria para continuar na frente e vencer em Sakhir.

“Acho que seria difícil com o George, mas acho que conseguiria segurá-lo porque tínhamos um bom ritmo. Ele estava de 0s2 a 0s3 [mais rápido], às vezes 0s4, às vezes eu o igualava. Acho que o mais próximo que ele chegou foi 2s8”, ressaltou.

“A informação que tínhamos como equipe era que precisava de uma diferença de 0s8 na volta para ele poder ultrapassar. Seria difícil, mas acho que, levando em conta a vida útil dos meus pneus, levando em conta o ritmo que tive no final, o ritmo que tinha nas mãos, conseguiria segurá-lo até o fim”, concluiu o grande vencedor do último domingo no Bahrein.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube