Smedley diz que ordem de equipe da Ferrari no GP da Alemanha de 2010 mudou Massa: “Foi um divisor de águas”

Autor de uma das mais famosas frases da história da F1, Rob Smedley reconheceu que a ordem dada a Felipe Massa no GP da Alemanha de 2010 foi um divisor de águas na carreira do brasileiro dentro da escuderia. Na corrida, Massa liderava, mas teve de ceder a vitória a Fernando Alonso

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Rob Smedley talvez tenha sido o autor de uma das mais famosas frases da história da F1, quando pediu a Felipe Massa para deixar Fernando Alonso passar no GP da Alemanha em 2010. Depois de superar o espanhol e Sebastian Vettel na largada, o brasileiro vinha à frente e resistindo, até que, na 49ª volta da prova em Hockenheim, a equipe italiana, por meio do engenheiro inglês, ordenou que Massa cedesse a vitória ao companheiro, em um momento em que as ordens diretas de equipe estavam proibidas na F1. A frase 'Fernando is faster than you' — Fernando está mais rápido que você — ganhou os holofotes e mudou a carreira de Felipe. De acordo com o próprio Smedley, o comando acabou sendo uma espécie de "divisor de águas" na trajetória do piloto dentro da escuderia vermelha.

 
Agora chefe de performance da Williams, o engenheiro britânico revelou que aquele foi um momento muito difícil para Massa na Ferrari, especialmente porque ficou claro "qual era o foco real do time". "Acho que, para ele, foi difícil a partir daí", disse Rob em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com'. 
 
"Difícil porque foi uma espécie de divisor de águas. Ele passou a entender onde estava o foco da equipe. Você sabe, certo ou errado…Não estou dizendo que o foco da equipe em Fernando era certo ou errado. Não foi fazer nenhum comentário sobre isso. Acho que Fernando é um ótimo piloto, tenho dito isso muitas vezes sobre o quão ele é bom, então você poderia argumentar se essa era uma estratégia correta, mas eu acho que, uma vez que Felipe entendeu isso, foi difícil voltar ao normal", acrescentou.
Felipe Massa liderou boa parte do GP da Alemanha de 2010, mas teve de ceder a vitória a Fernando Alonso (Foto: Ferrari)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Smedley, então, lembra que não concordou com a decisão ferrarista. O engenheiro, que se desculpou com Massa via rádio depois que o brasileiro cedeu a liderança, insistiu que achava errado pedir ao piloto para deixar Alonso passar. O inglês ainda revelou que sua relutância em dar a ordem também lhe causou problemas dentro da Ferrari na sequência da temporada.

 
"Eu não concordei com isso. Acho que foi uma coisa errada de se fazer, pessoalmente", destacou. "Talvez eu tenha deixado isso claro na minha mensagem de rádio. Eu não concordei. E isso ainda me causou tempos difíceis na Ferrari depois", contou.
 
"Na verdade, eu acho que havia uma forma melhor de lidar com isso, para ser honesto. A diferença entre eles não era grande em termos de ritmo de corrida. Houve momentos em que Felipe foi mais rápido e houve momentos em Fernando era melhor. Mas era quase a mesma coisa…Por isso, acho que foi difícil para Felipe lidar com isso porque foi algo que aconteceu do nada. "
 
"Nós tínhamos uma estratégia acordada para a corrida, sabíamos como as coisas aconteceriam. E, sim, não foi bem assim. Acho que ele só achou confuso na corrida. Ele estava correndo, liderando a prova. E eles estavam se afastando cada vez mais de Sebastian. Então, a dificuldade foi entender por que estavam fazendo isso. Qual a razão? A corrida era na Alemanha e não a última da temporada. Estávamos no meio do campeonato e por isso acho que foi tão complicado de entender", reconheceu.
 
O engenheiro também falou sobre a mudança de tática da Ferrari e admitiu que foi difícil de aceitar que a equipe italiana mudou repentinamente ao não permitir que Massa conquistasse a vitória. "Acho que, no fim, nós dois fizemos a coisa certa. Soou quase como se eu não fosse um cara da equipe, porque eu joguei o jogo da Ferrari e foi muito duro."
Pódio amargo no GP da Alemanha de 2010 (Foto: Ferrari)
"Fiquei muito feliz em jogar e acho que qualquer um também ficaria feliz em jogar qualquer jogo quando as regras são claras. Quando as regras estão na mesa e estão claras, tudo bem. Você sabe. Mas se as regras mudam no meio do jogo e você não sabe disso, só o outro grupo, então aí penso que é difícil de lidar", explicou o inglês.
 
"É como o futebol. Tem lá um clássico entre a Inter e o Milan e um dos jogadores do Milan pega a bola e joga no gol. Você diz: 'Olha, isso não pode', mas o árbitro fala: 'Não, agora é permitido'", concluiu.
 
Quando Massa deixou a Ferrari no fim de 2013 e se transferiu para a Williams na temporada seguinte, Smedley também se juntou ao brasileiro na equipe inglesa, onde segue para o ano que vem. Felipe havia anunciado a aposentadoria da F1, mas pode ter uma chance de voltar ao grid. Com o interesse cada vez maior da Mercedes em Valtteri Bottas para substituir Nico Rosberg, a esquadra inglesa foi atrás de Massa e fez um pedido para o piloto repensar a decisão de deixar o campeonato.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube