F1
24/05/2017 13:20

Stroll sente perseguição por carreira pavimentada com dinheiro da família e esnoba críticas: “Acho engraçadas”

Lance Stroll não vive um grande começo de carreira na F1. Sem pontos, muitos erros e visto como um jovem de talento duvidoso, o canadense se sente um tanto quanto perseguido por conta da grande quantidade de dinheiro empurrado pela família rica em sua carreira. Paddy Lowe, diretor-técnico da Williams, acha que a chave para Stroll deslanchar é tirar a pressão dele
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Lance Stroll (Foto: Williams)

Desde que foi anunciado como piloto da Williams, Lance Stroll entrou sob pressão. Ainda muito jovem e vindo de família rica, teve seu caminho pavimentado por sucesso em categorias menores e - especialmente - uma quantidade assustadora de dinheiro. Como a questão financeira de cada piloto não pode comprar treinos extras ou qualquer vantagem uma vez dentro do grid, Stroll está com dificuldades. Sem pontos e acumulando erros, o canadense vive pressionado. Mesmo assim, no entanto, acha graça nas críticas que recebe e jura não se importar.
 
Segundo Stroll, a pressão em que está é a mesma que encontrou no começo do ano. O canadense, campeão da F3 Euro em 2016, sustenta que as vitórias em categorias-satélite mostram o merecimento de estar na F1. Lance ainda vê uma certa perseguição por seu muito rico. 
 
"É a mesma pressão de sempre, a pressão que você coloca em você mesmo para competir e ir bem. É a F1, claro que há pressão, mas não mais que no passado. Eu tenho que levar corrida por corrida e focar no que posso fazer. O resto é meio que fora de seu controle. Ganhei meus campeonatos para chegar aqui, estou aqui e foram apenas minhas primeiras cinco corridas. Está sendo complicado, mas não muda tudo. Ainda é uma longa temporada", falou.
Lance Stroll (Foto: Beto Issa)
"Obviamente eu tenho um suporte que faz com que, quando eu ganho, tentam diminuir; quando eu perco, tentam me diminuir. Eu aceito isso e acho meio engraçado", afirmou. "De qualquer forma, é fora do meu controle. Foco no que estou fazendo, meu tempo na F1, a experiência. Estou aqui competindo aos 18 anos de idade e é muito especial. Levo corrida por corrida", afirmou.
 
Após cinco corridas, Felipe Massa levou a Williams a todos os 18 pontos, enquanto Stroll ainda aparece com dificuldades de concorrer com o resto do grid. Mas, segundo o diretor-técnico da equipe, Paddy Lowe, a pressão de Lance sobre si próprio é muito maior do que a da imprensa e torcida.
 
"Uma das coisas mais difíceis para Lance é a enorme pressão colocada sobre ele. É um piloto com muita expectativa ao seu redor, não só das pessoas próximas a ele. Mais ainda do paddock, porque há muito holofote em como eu cheguei aqui. Ele merece uma vaga", garantiu.
 
"Claro que pilotos são, por natureza, muito competitivos. São os melhores em agredirem a si próprios se não desempenham como acham de deveriam. Isso cria uma pressão própria para ele mesmo que aquele que vem do lado de fora não for o bastante. É uma boa questão para qual não temos respostas. Como desfazer essa pressão?", encerrou.
 
O GP de Mônaco acontece no próximo domingo (28), e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.
 
GENIAL, ALONSO FOI ESPETACULAR NA CLASSIFICAÇÃO EM INDIANÁPOLIS E ENTRA NO PÁREO PELA VITÓRIA