F1

Toro Rosso vê Gasly “melhor do que parece”, mas não descarta volta de Kvyat à Red Bull

Chefe da equipe satélite da Red Bull, Franz Tost afirmou que Daniil Kvyat está cedido à Toro Rosso, mas que gostaria de vê-lo voltar à matriz, de onde saiu em 2016 para, rebaixado, dar lugar a Max Verstappen. O dirigente austríaco se mostra surpreso com a baixa performance de Pierre Gasly e avisa: “Se você não corresponder às expectativas na F1, vai ser criticado”

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A fase de Pierre Gasly e o histórico de trocas de pilotos da Red Bull levantou uma possibilidade outrora inimaginável: o retorno de Daniil Kvyat à equipe taurina. O piloto russo foi rebaixado antes do GP da Espanha de 2016 e voltou à Toro Rosso, onde estreou na F1, dando lugar a Max Verstappen, que ascendeu da escuderia de Faenza para o time tetracampeão do mundo, onde hoje ocupa espaço de grande estrela. Gasly, que foi promovido a titular da Red Bull neste ano como substituto de Daniel Ricciardo, vem sendo alvo de muitas críticas, ainda que esteja prestigiado pelos chefes Christian Horner e Helmut Marko.
 
Franz Tost conhece bem tanto Gasly, com quem trabalhou no ano passado na Toro Rosso, como Kvyat. E ainda que entenda que o potencial do francês é muito maior do que os resultados mostram, o dirigente não acha um absurdo se o russo voltar à Red Bull em algum momento.
Daniil Kvyat voltar à Red Bull não é algo irreal, entende Franz Tost (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
“Não vejo isso como algo que proporcionaria uma imagem ruim. O fator decisivo na F1 é a performance. Se um piloto corresponder com sua performance, por que não trazê-lo de volta se estiver convencido de que ele é a decisão correta?”, comentou o austríaco em entrevista ao podcast ‘Starting Grid’.
 
“Daniil Kvyat é piloto da Red Bull. Atualmente, está emprestado à Toro Rosso. Vamos ver como tudo isso vai se resolver no futuro. Ficaria feliz se Daniil pudesse voltar a uma equipe de ponta como a Red Bull. Por que? Porque acredito que ele tem a velocidade. Se as circunstâncias forem as corretas, ele pode ter uma performance muito boa”, explicou.
 
Na visão do chefe da Toro Rosso, Gasly tem talento, mas, por outro lado, precisa lidar com as críticas sofridas pela falta de performance no seu primeiro ano correndo por uma equipe de ponta na F1.
 
“Estou um pouco surpreso porque acho que Pierre Gasly é muito melhor e mais rápido do que parece neste momento. Mas não conheço as circunstâncias exatas. Isso é a F1. É uma área de alto rendimento. Se você não corresponder às expectativas, vai ser criticado. E é preciso ser capaz de lidar com isso”, concluiu.
 

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.