Bottas compara F1 com ciclismo e dispara: “Às vezes, seu companheiro é seu maior inimigo”

Em entrevista veiculada pelo jornal holandês De Telegraaf, Valtteri Bottas ressaltou o trabalho em equipe que vislumbra no ciclismo e que na Fórmula 1 o cenário é completamente diferente

Hamilton pega Verstappen na tática e vence: assista aos melhores momentos do GP da Espanha (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Com futuro incerto na Mercedes, Valtteri Bottas deixou no ar a sua insatisfação com a Fórmula 1. Sem citar nenhum nome em específico, o finlandês entende que há falta de espírito de equipe na principal categoria do automobilismo mundial e traçou um paralelo com o ciclismo.

A atual namorada de Bottas, a australiana Tiffany Cromwell, é ciclista profissional e, portanto, disputa diversas competições ao redor do mundo. Por acompanhar de perto o esporte, o finlandês comparou o universo profissional da amada com o seu e notou diferenças bastante consideráveis.

Em entrevista ao jornal holandês De Telegraaf, Bottas disparou. “Vi no ciclismo que os companheiros de equipe trabalham muito bem juntos. Na Fórmula 1, é diferente. Você trabalha com seu companheiro, mas, às vezes, ele é seu maior inimigo”.

LEIA TAMBÉM
+Rebelde em Barcelona, Bottas se afunda mais na Mercedes e fica longe de renovação

Lewis Hamilton e Valtteri Bottas: climão na Mercedes? (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“No ciclismo, em contrapartida, há espírito de equipe de verdade. Se alguém vence, a vitória é de todos. E nunca havia me dado conta disso”, completou.

Na sua carreira como piloto de Fórmula 1, Bottas teve Pastor Maldonado como companheiro de equipe na Williams em 2013, Felipe Massa entre 2014 e 2016 e, desde 2017, Lewis Hamilton, que dividiu os boxes com o finlandês em 83 GPs.

No GP da Espanha, quarta etapa da temporada, Bottas jogou duro com Hamilton, que vinha com pneus novos na parte final da prova e acelerava para buscar a vitória contra Max Verstappen. O nórdico, que estava à frente do heptacampeão após o segundo pit-stop, não facilitou a ultrapassagem de Lewis e só permitiu a ultrapassagem depois de dez curvas durante a volta 52. A situação causou estranheza.

Questionado sobre o fato, Bottas, que habitualmente não impõe resistência quando tem o companheiro de equipe em luta pela vitória e costuma abrir passagem, justificou a postura diferente em Barcelona.

“Definitivamente, poderia deixá-lo passar mais cedo, mas estava fazendo minha própria corrida também”, disse Bottas.

“É sempre uma questão de calcular as coisas. Eu estava tentando abrir um pit-stop de vantagem para o Charles [Leclerc] para fazer mais uma parada e tentar o ponto extra [da volta mais rápida]. A coisa mais importante na minha cabeça é a minha própria corrida”, disparou.

“Eles me falaram para não segurar muito. Só que, como eu disse, eu estava fazendo minha corrida também. Não estou aqui para deixar pessoas passarem, estou aqui para correr. É assim que funciona”, complementou Valtteri, evidenciando o mal-estar dentro da Mercedes.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar