Verstappen brinca sobre tufão em Suzuka: “Estou com minha lancha pronta”

Max Verstappen chegou a Suzuka afirmando que o objetivo para o fim de semana é conquistar um lugar no pódio na casa da Honda. Sobre a possibilidade real da transferência do treino classificatório do GP do Japão para domingo, o piloto não vê maiores problemas

Em meio a sorrisos na entrevista coletiva promovida pela FIA nesta quinta-feira (10), em Suzuka, Max Verstappen tentou amenizar um pouco a tensão a respeito do avanço do supertufão Hagibis, previsto para chegar de forma devastadora ao Japão no sábado. “Estou com minha lancha pronta, então estou preparado”, brincou o piloto da Red Bull.
 
O holandês entende que a possibilidade de ter atividade de pista no sábado é pouco plausível. No paddock da F1, a expectativa é que a classificação seja transferida para a manhã de domingo (9h, horário local, 21h de sábado pelo horário de Brasília). Algo que Verstappen encara sem maiores preocupações.
Max Verstappen tem como meta levar a Honda ao pódio em Suzuka (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
“No momento, parece improvável que a gente pilote no sábado. Se for no domingo, tudo bem, mas vamos ver. Vamos ter um pouco mais de tempo livre no sábado e temos de acordar um pouco mais cedo no domingo. Mas já experimentamos isso antes. Vivenciei isso em Austin, em 2015. Faz parte, não há maiores problemas”, declarou.
 
Quando questionado sobre a meta de terminar o fim de semana do GP do Japão com um troféu na casa da Honda, Verstappen foi claro. “Definitivamente, esse é o objetivo. Mas primeiro vamos ver como vai ser o fim de semana, também em termos de clima. Mas é claro que faremos o possível para obter um bom resultado neste fim de semana”.
 
Antes de chegar a Suzuka, Verstappen teve uma amostra do seu prestígio ao representar a Honda. O holandês visitou a fábrica da montadora japonesa, em Sakura, e teve a chance de acelerar o icônico modelo RA272, carro com o qual o norte-americano Richie Ginther venceu pela primeira vez com a marca na F1, no GP do México de 1965. Max pilotou o carro na pista de testes de Tochigi, em evento que também contou com a participação de Takuma Sato.
 
Questionado a respeito do quarto lugar obtido na Rússia, há quase duas semanas, Verstappen não escondeu que esperava mais. 
 
“Não fiquei muito decepcionado, mas é claro que também não estava feliz. Acho que é bastante normal depois de uma corrida como essa. Foi uma corrida muito chata para mim. Você está sempre mais feliz se vence ou se teve uma prova empolgante e terminou no pódio. Simplesmente não fomos fortes nas últimas corridas, mas estou confiante de que podemos fazer melhor”, afirmou o piloto, que novamente preferiu desconversar sobre seu destino depois de 2020, quando vence o contrato com a Red Bull
 
“Continuamos a acelerar forte e, sobre o futuro, não estou muito preocupado. Só quero vencer e dar o meu melhor o tempo todo, assim como a equipe também”, finalizou. 
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL o fim de semana do GP do Japão de F1. Siga tudo aqui.
Paddockast #36
O MELHOR PILOTO SEM VITÓRIA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube