Verstappen minimiza papel de halo em acidente entre Leclerc e Alonso em Spa: “Pareceu pior do que foi”

Max Verstappen não viu o halo desempenhar grande função no acidente entre Charles Leclerc e Fernando Alonso na Bélgica. O titular da Red Bull disse acreditar que mesmo se o halo não estivesse ali, o piloto da Sauber não seria atingido pelo carro do espanhol

Max Verstappen foi outro piloto que decidiu opinar sobre o acidente da largada do GP da Bélgica e a utilidade do halo. Aos olhos do holandês, a situação foi encarada com uma gravidade maior do que realmente teve.
 
No início da corrida em Spa-Francorchamps, Nico Hülkenberg atingiu Fernando Alonso na traseira. Nisso, o espanhol acabou decolando e passando por cima de Charles Leclerc e atingindo o halo do carro do competidor antes de aterrissar. 
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Após a prova, muitos pilotos saíram em defesa do dispositivo de segurança, como Felipe Massa, Nico Rosberg e o espanhol da McLaren. Entretanto, o titular da Red Bull não entrou bem nessa lista.
 

“Honestamente, acredito que pareceu pior do que realmente foi, pois um carro nunca cai verticalmente em cima de alguém. Mas por causa do halo, que fica tão exposto, claro que seria atingido”, explicou.
 
“Quanto mais você constrói em frente a um piloto, mais chances você tem de atingir isso. Acredito que mesmo se o halo não estivesse ali, Charles não seria atingido. Acredito que tornaram tudo um pouco dramático demais”, completou.
 
Na próxima sexta-feira, começam as atividades de pista em Monza, com os dois primeiros treinos livres para o GP da Itália do próximo domingo, com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube