F1

Verstappen revela que Ocon chamou câmeras em ato de provocação após desentendimento no Brasil

Max Verstappen trouxe novos elementos para a discussão sobre a tirada de satisfação que deu para cima de Esteban Ocon após o fim de um GP do Brasil em que os dois colidiram durante a corrida quando o holandês liderava a prova. Segundo Verstappen, o fato de não ter distribuído sopapos mostra que ele estava calmo - apesar das provocações do francês

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
Quase dois meses já passaram desde o GP do Brasil em que Max Verstappen e Esteban Ocon se desentenderam e empurrões chegaram a ser dados. Mas Verstappen ainda tem coisas a dizer sobre o assunto. Uma delas é que Ocon quis transformar o momento num show em que era a vítima. 
 
O piloto holandês liderava em Interlagos e muito provavelmente tinha uma vitória em seu caminho até que Ocon, recém-saído dos boxes, tinha ritmo melhor que a Red Bull e ultrapassou Max para voltar para a volta do líder. Os dois acabaram batendo e rodando. Verstappen sofreu dano no assoalho e terminou com o segundo lugar, atrás de Lewis Hamilton.
 
Depois, na sala de pesagem dos pilotos, foi tirar satisfação com Esteban. Foi aí que partiram para um contato físico. 
 
"Coisas assim acontecem direto em outros esportes. Minha reação foi calma, até. Eu não bati nele", falou. 
Max Verstappen e Esteban Ocon (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
"Eu queria saber por que ele fez aquilo. Então ele começou a rir de mim, o que eu achei uma reação inapropriada, porque perdi a corrida por causa dele. Quando o empurrei não acreditando naquilo, ele imediatamente começou a berrar 'peguem as câmeras' e 'empurra, empurra'. Eu não me seguro. Não ligo para as câmeras", revelou.
 
Pelos empurrões, Verstappen foi punido a cumprir dois dias de serviços para a FIA. Punição que ele considerou "um pouco rigorosa". 
 
Mesmo com a batida no Brasil, Verstappen terminou a temporada com cinco pódios seguidos, incluindo uma vitória no GP do México.