Vettel compara e vê F1 atual carente de companheirismo: “Todos colocam seus interesses antes de qualquer coisa”

Sebastian Vettel se mostrou triste com a falta de companheirismo dos pilotos da F1 atual. O tetracampeão entende que no passado os competidores eram mais próximos, mas que agora há um distanciamento muito grande: “Não há muito tempo para os pilotos saírem para curtir”

Foi graças ao fato mais triste já vivido pela F1 nos últimos 21 anos que boa parte dos pilotos da F1 se uniu em uma ocasião não relacionada à disputa em pista. O funeral de Jules Bianchi contou com a presença de vários competidores que fazem parte do grid atual, que foram prestar a última homenagem ao francês, morto depois de nove meses internado em decorrência de um grave acidente em Suzuka.

Na visão de Sebastian Vettel, falta aos pilotos da F1 dos dias de hoje uma postura mais próxima uns perante os outros. O tetracampeão mundial lamentou por não ter a chance de encontrar seus pares em momentos descontraídos, não necessariamente sendo nos paddocks ao redor do mundo, como era no passado.

Uma das últimas ocasiões em que os pilotos da F1 se reuniram para curtir: um jantar na Coreia do Sul (Foto: Divulgação)

Um dos últimos encontros dos pilotos da F1 fora dos circuitos e registrado pelas câmeras aconteceu no fim de 2012, quando boa parte do grid se reuniu num restaurante na Coreia do Sul, às vésperas da corrida em Yeongam. Mas de fato, encontros como o ocorrido na Ásia são cada vez mais raros.

“Em épocas passadas, há 30 ou 40 anos, você tinha muitas coisas acontecendo, o que naturalmente juntava todo mundo. Agora, todo mundo aproveita mais sua própria vida, vendo o quanto nós estamos ocupados na pista”, afirmou o piloto em entrevista veiculada pela publicação norte-americana ‘Motorsport.com’.

“Se você olhar para a agenda de cada um, não há muito tempo para os pilotos saírem para curtir, todos colocam seus próprios interesses antes de qualquer coisa. Isso é triste”, lamentou o tetracampeão.

Em uma atmosfera de poucos amigos, em que a F1 se apresenta cada vez menos humana, Vettel gostaria que o ambiente do esporte fosse algo mais parecido com as escolas, onde há uma proximidade muito maior, mesmo com quem não exista tanta afinidade.

“No fim das contas, nós compartilhamos da mesma paixão, ainda que você goste mais de alguns que de outros. É como uma sala de aula: você gosta mais de alguns caras e outros que você não gosta, mas isso não significa que você não possa sair pra curtir”, disse.

“As circunstâncias nos dias de hoje não são as mesmas em relação ao que eles tiveram: há muita coisa boa, mas alguma coisa sobre isso não é”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube