Vettel descarta apontar culpados para acidente em Singapura e afasta pressão por perda da liderança: “Não me preocupa”

Sebastian Vettel afastou qualquer chance de uma maior análise sobre o acidente que o tirou do GP de Singapura, há duas semanas, e voltou a demonstrar confiança na Ferrari. Apesar dos 28 pontos que o separam de Lewis Hamilton, o tetracampeão acha que dá para virar o jogo e não se sente pressionado

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

É claro que, depois de toda a confusão da largada do GP de Singapura, Sebastian Vettel seria sabatinado pelos jornalistas na primeira ocasião. E assim foi nesta quinta-feira (28), em Sepang, na Malásia, onde a F1 está para a 15ª etapa da temporada 2017. Sentado entre Max Verstappen e Kimi Räikkönen, que também estiveram envolvidos no incidente em Marina Bay, o tetracampeão tentou se esquivar de uma maior análise do acidente entre os três e também evitou apontar culpados.

 
"Não acho que seja necessário discutir isso aqui. Quando coisas como essas acontecem, o que podemos fazer?", questionou o ferrarista diante dos repórteres. 
 
"Se fosse um problema no carro ou um grande erro meu, então seria uma história diferente. Se há algo que você pode mudar, algo que exige uma reação rápida para garantir que não aconteça mais, aí seria outra coisa. Olhando agora para o que aconteceu, é obviamente ruim porque não terminamos a prova, e isso ajudou Lewis [Hamilton] a somar mais pontos, mas, às vezes, as coisas são assim", completou.
Sebastian Vettel tratou de minimizar o abandono em Singapura (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Vettel ainda deixou claro que não há muito o que aprender com o acidente. "Acho que teria sido pior se eu tivesse perdido o carro. Seria diferente", insistiu. 

 
"Com uma batida que começou como aquela, não tinha mais o que fazer. As luzes se apagaram, e nós largamos. Todo mundo estava tentando ter um bom início e aí vê o que aconteceu. Isso faz parte das corridas. Essas coisas acontecem e não há o que se possa fazer. Não será a primeira vez e nem a última que isso vai acontecer. Portanto, não faz sentido ficar discutindo sobre isso. É melhor usar o tempo e a energia para o que vem a seguir", acrescentou Seb.
 
Por fim, o vice-líder do campeonato demostrou mais uma vez a confiança que possui no conjunto da Ferrari. Vettel minimizou a diferença de 28 pontos para Hamilton e assegurou que não se sente pressionando por estar agora no posto de perseguidor do líder. "O importante são os pontos no fim da temporada. Não me preocupa estar atrás na tabela. Certamente, não é bom estar atrás, mas temos um carro forte, rápido e ainda faltam muitas corridas", concluiu.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 na Malásia AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.

#GALERIA(7197)

TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube