F1

Vettel nega rumores de aposentadoria da F1: “Ainda me divirto muito e tenho algo a fazer na Ferrari”

Nos últimos dias, rumores na imprensa britânica apontaram para uma chance de Sebastian Vettel encerrar sua trajetória na Fórmula 1 ao fim da atual temporada. Mas o alemão, em entrevista à revista ‘Auto Bild’, descartou a possibilidade de deixar o Mundial e deixa claro que tem como objetivo levar a Ferrari de volta ao topo da F1

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Já não é de hoje que surgem rumores sobre a aposentadoria de Sebastian Vettel na Fórmula 1. O mais recente deles foi levantado na semana passada pelo jornalista britânico Joe Saward, por meio da sua newsletter. Saward apontou, inclusive, candidatos em potencial à vaga do alemão na Ferrari: Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo. Entretanto, Vettel deixou claro que ainda se vê por mais algum tempo na F1 e tem como maior missão levar a Ferrari ao topo do Mundial. 
 
“Não planejo me aposentar. Ainda me divirto muito na F1 e tenho de fazer algo na Ferrari. Queremos tentar tudo para mudar o rumo desta temporada e o GP do Canadá deve ser o começo”, declarou o tetracampeão em entrevista à revista alemã ‘Auto Bild’. 
 
Seb já está focado no GP do Canadá deste fim de semana, que é definido pelo piloto como ponto de virada da Ferrari no campeonato. O alemão triunfou em Montreal no ano passado.
Adeus? Sebastian Vettel nega que vai deixar a F1 ao fim de 2019 (Foto: AFP)
Vettel vem do seu melhor resultado em 2019, o segundo lugar no GP de Mônaco. Mas a Ferrari ainda está longe de quebrar a hegemonia da Mercedes, vencedora das seis primeiras corridas da temporada. Na visão do alemão, um fator que compromete a performance da SF90 é o funcionamento adequado dos pneus.
 
“Nosso carro está bem, mas ainda estamos na fase de conhecê-lo. O que é o mais difícil nesta temporada é achar a melhor forma de fazer com que os pneus funcionem. As outras equipes, Mercedes e Red Bull, estão fazendo melhor do que nós. Aprendemos todos os dias, e isso também nos ajuda a construir o carro da próxima temporada”, salientou.
 
O alemão também defendeu a atual dupla de pilotos da Ferrari. Neste ano, Charles Leclerc trouxe sangue novo à equipe depois de um ciclo de cinco temporadas de Kimi Räikkönen como companheiro de Vettel nos boxes do time de Maranello.
 
“Acho que é positivo. Nos pressionamos um ao outro. Para ser justo e respeitoso, não diria que no passado tive companheiros de equipe fáceis. Não acho que Kimi seja lento. Claro que são pessoas diferentes, pilotos e estilos diferentes. Rapidamente, ficou claro que Charles tem muito talento e que é muito rápido. No entanto, é bom que a equipe tenha dois pilotos que levem o carro ao limite, que descubram os limites”, concluiu o piloto, em declarações publicadas pela revista ‘Speed Week’.


Paddockast #20
Punições tardias, circuitos chatos... O que tem de acabar no esporte a motor?



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.