Vettel rebate Ferrari e diz que pandemia “não foi decisiva” para saída em 2020

Em entrevista à emissora austríaca Servus TV, de propriedade da Red Bull, Sebastian Vettel rejeitou as alegações de Mattia Binotto de que a não-renovação de contrato com a Ferrari se deve aos impactos da pandemia do novo coronavírus. Quanto ao futuro na Fórmula 1, o tetracampeão tem algumas opções na mesa e, antes de decidir, ressalta: “A parte financeira não é o mais importante”

Mesmo tendo começado bem mal a sua última temporada como piloto da Ferrari na Fórmula 1, Sebastian Vettel foi um dos centros das atenções no fim de semana do GP da Áustria, no Red Bull Ring. Antes de uma jornada bastante complicada no domingo (5), marcada pelo incidente com Carlos Sainz — seu substituto a partir de 2021 —, pela pilotagem de um carro “inguiável” e o décimo e penúltimo lugar na corrida, o tetracampeão revelou que foi demitido da Ferrari por telefone. Seb, em entrevista na última segunda-feira à emissora austríaca Servus TV, de propriedade da Red Bull, rejeitou as alegações de Mattia Binotto, chefe da escuderia italiana, de que a não-renovação de contrato se deve aos impactos da pandemia do novo coronavírus e já começa a pensar no futuro na Fórmula 1 e em um lugar onde possa ser feliz.

Na entrevista, que foi feita ao lado de Christian Horner e Max Verstappen, Vettel rebateu o discurso de Binotto sobre a decisão de não renovar seu contrato para o ano que vem.

“As condições sobre o coronavírus não são tão decisivas lá. Se você está nisso há tanto tempo, é tão bem-sucedido e conseguiu uma certa independência, certamente isso não seria um obstáculo”, disse.

Sebastian Vettel já começa a pensar no futuro pós-Ferrari na Fórmula 1 (Foto: Scuderia Ferrari)

“Acho que os últimos cinco anos não trouxeram o objetivo, dos dois lados. Ainda pensei que seria uma opção continuar com a Ferrari. Foi comunicado assim. O que me foi dito é que eles queriam continuar juntos. Então, do nada, recebi um telefonema, no qual eles me disseram que não haveria nenhuma oferta e nenhum futuro juntos”, lembrou Vettel.

Resignado, Seb prometeu seguir lutando até o último dia do seu contrato com a Ferrari. “Aceito a decisão e não tenho problemas com isso. Apesar disso, vou seguir cumprindo meu trabalho e, ao contrário do último fim de semana, fazer um trabalho melhor para a equipe e ter um desfecho satisfatório”.

Nas últimas semanas, Renault e Aston Martin, futuro nome da Racing Point, despontaram como potenciais novos destinos para o alemão de Heppenheim em 2021. A decisão, salientou Vettel, ainda não foi tomada, mas o dinheiro não está na sua lista de prioridades para definir onde (e se) vai correr no ano que vem.

“Ainda não tomei uma decisão. Não sei. É importante encontrar um ambiente que me convenha. Para mim, é importante encontrar algo que me dê alegria. A parte financeira não é importante”, salientou o dono do carro #5. “Em muitos aspectos, gostei dos últimos cinco anos, mas despendi também muita energia nestes últimos cinco anos”, continuou.

“Agora, é uma nova situação para mim. Sou competitivo. O automobilismo é a minha vida. Na posição correta, eu ainda me sentiria em casa”, disse o piloto, que revelou ter conversado com o consultor da Red Bull tão logo soube que não ficaria na Ferrari. Mas Vettel deixou claro que a ligação não foi para pedir uma vaga na equipe que o consagrou na Fórmula 1.

“Liguei para Helmut Marko logo após receber as notícias da Ferrari. Não porque queria negociar um contrato, mas porque me dou muito bem com ele. Pedi conselhos. E expliquei como estava a situação”, contou.

Quanto à Mercedes, que segundo a Daimler, empresa-mãe, vai seguir com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, Vettel entende completamente por não ter as portas abertas na equipe hexacampeã mundial neste momento.

“Estou sabendo sobre a situação na Mercedes. Acho que a Mercedes está muito satisfeita com a maneira como eles [Hamilton e Bottas] pilotam no momento. Eu posso dizer que ela quer se apegar a isso. A decisão sobre os pilotos ainda não foi tomada, mas é óbvio que, se Lewis quiser continuar, eles vão continuar com Bottas depois de um fim de semana assim”, concluiu Vettel.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube