Ferrari culpa coronavírus por falta de proposta a Vettel: “A situação mudou”

Mattia Binotto explicou que a chegada do vírus atrapalhou os planos do time e entende a insatisfação do alemão

A Ferrari não fez uma proposta de renovação para Sebastian Vettel, mas a culpa é do coronavírus. Ao menos foi o que explicou Mattia Binotto, chefe do time, ao falar das recentes declarações do tetracampeão.

No Red Bull Ring, o alemão falou em coletiva de imprensa que ficou surpreso quando recebeu a ligação dizendo que não seguiria no time em 2021. “Nunca teve uma oferta na mesa e, portanto, não teve um ponto de discórdia”, apontou.

O #5 assinou com a escuderia de Maranello em 2015 após passagem brilhante pela Red Bull. O piloto foi o responsável por comandar a reestruturação na equipe italiana e durante sua permanência conseguiu, até o momento, 14 vitórias, 12 poles, 54 pódios e dois vice-campeonatos – 2017 e 2018.

Entretanto, com a chegada de Charles Leclerc em 2019, as coisas apertaram. Vettel fechou a classificação apenas em quinto, com o monegasco ficando em quarto. Em 2021, então, chega Carlos Sainz para o lugar do tetra.

Vettel foi chutado de surpresa (Foto: Ferrari)

“Sempre dissemos durante todo o inverno, tanto no privado quanto publicamente, que era nossa primeira opção, o que confirmo. É normal que, durante o inverno, diversos pilotos nos pergunte se há uma oportunidade de correr na Ferrari, então recebemos muitos contatos”, explicou Binotto.

“Isso não mudou nossa posição, Seb era nossa primeira opção. O que aconteceu desde então? Acho que o vírus e a situação pandêmica, que mudou todo o mundo, não apenas o automobilismo, a Fórmula 1. O teto de orçamento mudou bastante e é um muito mais restrito, o regulamento foram adiados de 2021 para 2022, o que de certa maneira, era algo importante para nós”, emendou o italiano.

“Carros foram congelados, ou quase isso, para 2020 e 2021. Vamos dizer que toda situação mudou. E, acima de tudo, a temporada não havia começado, então não houve nenhuma oportunidade de Seb voltar para a pista e mostrar o quão motivado para estar na Ferrari, o que foi um golpe de azar para ele”, seguiu o dirigente.

“Então, durante o período em que a Ferrari esteve fechada, tivemos que, eventualmente, reconsiderar nossa posição. Tomamos a decisão, então certamente foi nossa decisão, nossa responsabilidade, e comunicamos a ele”, sublinhou.

“Ouvi que ficou surpreso – lembro que esteve surpreso, sim, e entendo, é normal. Embora tenha aceitado nossa decisão, digo que ainda não ficou totalmente feliz com isso, o que é normal e óbvio”, concluiu.

Vettel aproveitou para fazer balanço de sua passagem na Ferrari, dizendo que houve falha mútua. Mas já tem equipe de olho no tetracampeão – a Renault admitiu que pensa no alemão para substituir Daniel Ricciardo.

GRANDE PRÊMIO transmite em tempo real todas as atividades do fim de semana do GP da Áustria de F1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube