Villeneuve diz que Williams “não é mais uma equipe de corrida” e critica: “Apenas o lucro importa”

Jacques Villeneuve mais uma vez deu duras declarações. Falando agora sobre a Williams, o canadense afirmou que o time não está mais tão interessado em ser uma equipe de corrida, mas ser uma entidade pública que gera lucros no final do ano

Jacques Villeneuve atacou mais uma vez com suas declarações polêmicas. Direcionando suas palavras agora para a Williams, o canadense afirmou que a equipe não está preocupada em vencer corridas de Fórmula 1, mas sim em conseguir lucrar no final do ano.
 
A esquadra inglesa vem passando por uma difícil fase na categoria. Com problemas no carro e pouca competitividade, se acostumou a correr no fundo do pelotão. Entretanto, mesmo terminando o Mundial de Construtores na última colocação em 2018, fechou a temporada no azul.
 
Villeneuve, que foi o último piloto a ser campeão pelo time, em 1997, criticou então a forma como a escuderia tem enfrentado sua situação. “A Williams não é mais uma equipe de corrida”, disse em entrevista ao jornal ‘Le Journal de Montreal’.
Robert Kubica (Foto: Williams)

“É uma entidade pública que deve se reportar no final do ano, e satisfazer seu presidente e diretor administrativo. A equipe gerou um lucro de $16 mi [cerca de R$ 62 mi] em 2018, então está indo bem”, seguiu.
 

“Mas se a empresa fez tanto dinheiro, é porque não gastou o suficiente na equipe. O presidente não quer vencer na F1, apenas quer fazer o máximo de dinheiro possível para os sócios. É só isso o que importa…”, completou.
 
Mas a situação da Williams pode mudar no futuro. De acordo com informações do ‘Motorsport Italia’, Dmitry Mazepin, pai de Nikita, se reuniu com a escuderia de Grove durante o final de semana do GP da China. O assunto da reunião foi sobre a possibilidade do empresário comprar a tradicional equipe.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube