Webber aponta frustração de Alonso com situação difícil na McLaren e diz: “Talvez ele não termine o ano na F1”

Mark Webber sempre teve uma relação muito próxima com Fernando Alonso. E o australiano também entende que o calvário de Alonso na McLaren, que já se arrasta desde 2015, pode fazer com que o espanhol deixe a equipe antes do fim da temporada

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso pode deixar a McLaren e a F1 antes mesmo do fim da temporada. A afirmação é de um dos seus maiores amigos no mundo do esporte: Mark Webber. Durante o fim de semana do GP da Austrália, o ex-piloto da Red Bull e campeão mundial de Endurance falou à agência belga de notícias ‘Sporza’ sobre a situação difícil enfrentada por Alonso que, nas palavras do amigo, “está frustrado uma barbaridade”.

 
“Talvez Alonso não esteja aqui o ano inteiro. Talvez Stoffel Vandoorne tenha um companheiro de equipe diferente em algum ponto. Pode ser que ele não faça o ano inteiro. Nunca se sabe. Ele está frustrado uma barbaridade”, afirmou Webber.
 
“Ele não quer ficar em sexto ou sétimo. Não é como Stoffel, para quem os pontos podem ser o bastante. Fernando quer lutar por pódios. Mentalmente, está muito longe de onde quer estar”, declarou o australiano, citando a insatisfação de Alonso com a fase da McLaren, que jamais lhe entregou um carro capaz de lutar por pódios desde que o espanhol voltou à equipe, em 2015.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Alonso pode não terminar o ano na McLaren e na F1. Palavras do amigo Mark Webber (Foto: Divulgação/WEC)
Contratado como grande pilar da retomada da parceria entre McLaren e Honda, Alonso jamais teve nas mãos um carro forte e tampouco um motor confiável. No GP da Austrália disputado no último domingo (26), por exemplo, Fernando lutou bravamente na zona de pontuação, mas viveu outra frustração ao abandonar a corrida em razão de uma falha na suspensão.
 
Webber entende que Vandoorne pode aprender com o momento difícil da McLaren, mas Alonso, ainda com fome de vitórias e títulos, não pode mais continuar sofrendo com a falta de bons resultados na F1.
 
“É uma situação difícil. A equipe e o carro não estão ali, mas Stoffel pode aprender em um segundo plano. O foco não está nele, o foco está na equipe, na política e nos problemas com a Honda. Não é possível ter três anos assim”, destacou.
 
Recentemente, quando Webber anunciou sua aposentadoria, Alonso gravou um vídeo em homenagem ao amigo e deu a entender que, em um futuro próximo, poderia seguir os passos do australiano e correr no Mundial de Endurance. O contrato de Alonso com a McLaren vai até o fim desta temporada.
 
O bicampeão mundial não escondeu o sentimento de frustração com a falta de um carro competitivo na Austrália. Ainda assim, ficou muito satisfeito com sua performance pessoal, a ponto de avaliar a corrida em Melbourne como uma das melhores da sua carreira na F1.
 
“Poucas vezes tive um carro tão pouco competitivo como nesta corrida. Sem fazer uma boa preparação no inverno, tendo de economizar gasolina de forma brutal. Acho que tivemos de levantar o pé 1s por volta, e ainda assim estávamos nos pontos. Foi uma das melhores corridas que já fiz”, declarou o espanhol de 35 anos à emissora Movistar+.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Alonso é pessimista sobre as próximas corridas do Mundial e acredita que não há chances de melhora em curto prazo.

 
“Esse fim de semana vai se repetir poucas vezes. 13º na classificação, nos colocamos no Q2, estar nos pontos na corrida. Acho que vai ser praticamente impossível nas próximas corridas. Quando chegarmos a circuitos normais, nossa posição vai estar muito mais atrás, eu acho. É preciso melhorar imediatamente, porque do contrário vamos ter outras corridas muito frustrantes”, concluiu.
 
PADDOCK GP #70 FAZ PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP E LEMBRA PACE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube