Williams busca encerrar parceria com Mercedes e usar motor Renault em 2020

De acordo com o jornal alemão 'Autobild', a Williams busca uma mudança grande para a próxima temporada da Fórmula 1: trocar o motor Mercedes pelo da Renault

Última colocada do Mundial de Construtores com zero ponto, a Williams pode buscar mudanças drásticas para 2020, tentando uma melhora que, neste ano, não parece ter chances de ocorrer.

De acordo com o jornal alemão 'Autobild', a equipe de Grove conversa com a Renault para que este seja a fornecedora de motores da equipe a partir da próxima temporada.

Desde 2014, a Williams recebe os motores da Mercedes, mas não vence uma corrida sequerer há sete anos – quando Pastor Maldonado triunfou na Espanha.

Robert Kubica (Foto: Williams)
Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP

A vontade de mudança tem ares curiosos, porém, já que em teoria os motores são os mesmo utilizados por Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, os líderes do Mundial. A Williams é a responsável pela construção do restante do carro.

A inspiração seria a quarta colocação da McLaren, no momento, entre as equipes, já que os carros laranjas usam motores Renault. Os franceses vêm em seguida, em quinto.

O jornal também afirma que se a Williams realizar a troca, a McLaren poderia passar a receber os motores Mercedes.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube