De ponta a ponta, Gutiérrez vence na Hungria. Razia vai ao pódio e segue líder da GP2

Esteban Gutiérrez venceu fácil a etapa complementar da GP2 na Hungria. Nathanael Berthon terminou em segundo, à frente de Luiz Razia, que segue líder do campeonato. Felipe Nasr largou em 25º e finalizou num ótimo oitavo lugar, enquanto Victor Guerin foi o 22º

De ponta a ponta, Esteban Gutiérrez venceu a etapa complementar da GP2 no circuito de Hungaroring, na manhã deste domingo (29). Com a autoridade de um veterano, o jovem mexicano conteve os ataques de Nathanael Berthon, abriu vantagem e cruzou a linha de chegada na ponta, tendo 3s5 de frente para o francês. Luiz Razia fez novamente boa largada, aproveitou a queda de rendimento dos pneus de Giedo van der Garde, subiu para terceiro e manteve vantagem confortável na ponta.

Destaque para Felipe Nasr. Depois de ter largado em 25º e penúltimo, o jovem brasiliense da Dams fez belíssima corrida de recuperação, ultrapassou vários adversários ao longo de toda a corrida, contou também com a queda de rendimento dos pneus de seus oponentes e cruzou a linha de chegada na oitava colocação. Já seu companheiro de equipe, Davide Valsecchi, terminou em quarto e segue vivo na luta pelo título. Victor Guerin fechou em 22º.

A vitória de Gutiérrez neste domingo em Hungaroring o colocou definitivamente na luta pelo título. Agora o mexicano soma 150 pontos. Razia é líder até de maneira confortável e soma 196, contra 189 de Valsecchi.

De ponta a ponta, Gutiérrez dominou a segunda etapa em Budapeste (Foto: GP2/LAT Photographic)

Saiba como foi a etapa complementar da GP2 em Hungaroring

Diferente do que foi o início da prova da GP3, a largada da GP2 em Hungaroring aconteceu com pista totalmente seca e com o céu azul. Gutiérrez largou na pole, com Berthon em segundo e Palmer em terceiro. Razia partiu do sexto lugar, enquanto Guerin abriu a etapa complementar na Hungria em 21º, três posições à frente de Nasr, que não completou a corrida do sábado.

A largada aconteceu sem maiores problemas nas primeiras curvas de Hungaroring, com Gutiérrez liderando o pelotão, seguido por Berthon, Van der Garde e Razia, que mais uma vez largou bem e pulou de sexto para quarto. Já seu rival na luta pelo título, Valsecchi, era quem figurava em sexto. Nasr fez belíssima largada e pulou para 20º, enquanto Guerin caiu para 23º.

Assim como aconteceu no sábado, Marcus Ericsson teve uma corrida marcada pelo azar neste domingo. Ainda na segunda volta da prova, o sueco bateu o carro da iSport e danificou a suspensão dianteira, encerrando ali sua participação em Budapeste.

Esteban liderava com segurança, ainda que Berthon estivesse próximo. Pouco mais atrás, aparecia Van der Garde, com Razia em quarto, depois de o brasileiro ter ultrapassado Palmer. O baiano da Arden ia deixando o rival Valsecchi para trás, já que, muito mais que a vitória em Hungaroring, o objetivo de Razia era abrir vantagem na liderança da temporada.

Nasr, por sua vez, seguia escalando o pelotão e fazia bela prova em Budapeste. Depois de ter largado em 25º e penúltimo, o brasileiro já era o 17º após as sete primeiras voltas no circuito magiar. Já Guerin, piloto da Ocean, figurava em 22º.

Em um dos poucos momentos intensos da corrida àquela altura foi o incidente envolvendo Johnny Cecotto Jr. e Fabio Onidi. Pior para o italiano, que abandonou a prova, bastante monótona, pelo menos nas 11 voltas iniciais. Um fator que justificava o conservadorismo dos pilotos era o fato de que a segunda prova do fim de semana da GP2 não tem a obrigatoriedade de troca de pneus. Assim, todos optaram por conservar ao máximo os respectivos compostos para seguir até o fim da corrida sem ter de fazer um pit-stop e, assim, evitar maior perda de tempo.

A etapa complementar da GP2 na Hungria seguia sem grandes modificações no pelotão da frente, com Gutiérrez na frente, seguido de perto por Berthon, Depois aparecia Van der Garde, Razia, em quarto, e Palmer fechando o top-5. A caminho dos pontos, Nasr contrariava o ritmo monótono da corrida e fazia grande prova, escalando o pelotão, sendo o 14º colocado após 15 voltas.

Foi Razia quem tratou de quebrar a monotonia no pelotão da frente ao perceber que a Caterham de Van der Garde tinha ritmo bastante inferior ao seu carro. Logo o brasileiro atacou o experiente piloto holandês e trouxe consigo Palmer e, um pouco mais atrás, Valsecchi. A ultrapassagem de Razia sobre o adversário para conquistar o terceiro lugar era questão de tempo.

E ela veio na abertura da volta 19 em Hungaroring. O baiano da Arden pegou o vácuo, emparelhou com a Caterham de Van der Garde no fim da reta dos boxes e ultrapassou o holandês na entrada da curva 1, seguindo para seu segundo pódio no fim de semana. Giedo ficou na alça de mira de Palmer e Valsecchi, que queria de todas as formas se aproximar de Razia para seguir vivo na luta pelo título de 2012.

Faltando cinco voltas para o fim da corrida, foi a vez de Palmer tentar a ultrapassagem para cima de Van der Garde. Mas a manobra não foi bem-sucedida, já que o britânico espalhou na curva 1 ao tentar o mesmo movimento de Razia. Além de ter perdido o quarto lugar, Jolyon foi superado também por Valsecchi, que, mais experiente, lutou com o holandês — que vinha com pneus supermacios, contra os médios do italiano — e o ultrapassou. Van der Garde também foi superado por Palmer e por Coletti, caindo para o sétimo posto.

Passando despercebido às lentes das câmeras da transmissão da GP2, Nasr fazia, talvez, sua melhor prova desde a estreia na categoria. Com grande rendimento e ainda aproveitando a queda do desempenho dos pneus dos adversários, o jovem brasiliense também passou Van der Garde depois de escalar o pelotão e cruzou a última volta em oitavo. Felipe travou intensa disputa com Rio Haryanto e Stefano Coletti. No fim das contas, o monegasco ficou para trás, Rio ultrapassou os dois e passou em sétimo, seguido pelo brasileiro.

Foi a última grande disputa da prova vencida de ponta a ponta por Gutiérrez. O mexicano cruzou a linha de chegada com 3s5 de frente para Berthon, que fez corrida bastante consistente para chegar em segundo, com Razia, mais uma vez, completando o pódio. Nasr terminou em oitavo, enquanto Guerin foi o 22º. Além da celebração do mexicano, outro fato marcou o fim da corrida: um incidente entre Sergio Canamasas e Simon Trummer. O veterano catalão tocou na traseira do carro do adversário, que rodou na reta dos boxes e bateu no guard-rail.

Assim como a F1, a GP2 também fará um mês de pausa para as férias de verão. A categoria volta às pistas entre 31 de agosto e 2 de setembro, no circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica.

GP2, Hungaroring, corrida 2, final:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube