F2

De Vries reage em pista seca, passa Norris e vence na F2 na Hungria. Punido, Sette Câmara é 7º

Nyck de Vries se sustentou nas posições de pódio na parte molhada da prova, armando uma ofensiva na parte seca. Com pneus slicks, o holandês acabou com uma grande vantagem de Lando Norris, vencendo pela primeira vez uma corrida principal da F2. Sérgio Sette Câmara cruzou a linha de chegada em terceiro, mas caiu para sétimo por causar um acidente
Warm Up, de Hungaroring / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 Nyck de Vries (Foto: F2)


Nyck de Vries fez uma reação das mais marcantes na corrida 1 da F2 em Hungaroring, disputada neste sábado (28). Em uma prova repleta de ultrapassagens e reviravoltas, o holandês brilhou em uma pista cada vez mais seca, encaixando uma sequência impressionante de voltas mais rápidas. A recompensa veio depois: De Vries rapidamente alcançou Norris, passando com tranquilidade e garantindo o triunfo.

Norris, por sua vez, fez uma corrida oposta. O britânico foi estrela na primeira metade, com pista muito molhada, fazendo uma série de ultrapassagens e disparando em primeiro. Depois, tudo deu errado: o carro perdeu muito desempenho. Lando segurou o segundo lugar, mas chegou muito perto de ficar fora do pódio.
 
Para Sérgio Sette Câmara, a prova teve gosto agridoce. O brasileiro largou da pole e chegou a abrir alguma vantagem nas primeiras voltas. Na reta final do trecho molhado da prova, tudo mudou: o brasileiro perdeu muito terreno, caindo de primeiro para quinto. A situação melhorou na parte seca, quando a decisão de colocar pneus secos antes dos outros permitiu cruzar a linha de chegada em terceiro. O problema veio depois: na briga com Antonio Fuoco pelo terceiro lugar, Sérgio causou um acidente. A punição de 10s veio em seguida, relegando o brasileiro ao sétimo lugar.

Jack Aitken terminou em quarto, enquanto Alexander Albon foi quinto. Luca Ghiotto, Sette Câmara, Artem Markelov, Tadasuke Makino, Nirei Fukuzumi completaram a zona de pontos.
Nyck de Vries (Foto: F2)
Saiba como foi a corrida 1 da F2 na Hungria
 
No embalo do treino classificatório da F1, a corrida da F2 teria largada com pista molhada. A chuva já estava no passado, mas a água acumulada prometia ser um desafio. Prova disso é que a largada seria realizada sob safety-car. Era uma boa notícia para George Russell, que precisaria largar dos boxes após sofrer problemas mecânicos, mas não perderia tanto tempo.
 
Após três voltas atrás de safety-car, que contaram como voltas de apresentação, ficou definido que a largada seria normal, parada. Mesmo com esse risco, Sette Câmara segurou a liderança ao largar da pole. De Vries, Ghiotto, Aitken e Maini eram os outros pilotos do top-5. O indiano logo começou a sofrer com pista molhada, caindo de quinto para nono ainda no primeiro giro.
 
Mais atrás, a primeira volta foi selvagem. Boschung, Gunther e Delétraz tiveram danos no carro e precisaram de pits emergenciais.
 
Enquanto isso, Sette Câmara se adonava da prova. Em três voltas, o brasileiro abriu 2s9 de vantagem sobre De Vries, que começava a frear qualquer ofensiva de Ghiotto.
Lando Norris foi segundo (Foto: FIA F2)
Mais atrás, Norris fazia belas ultrapassagens – a melhor delas sobre Fuoco, indo por fora na curva 2. No giro seguinte, a mesma coisa, mas agora sobre Aitken. O britânico passava a ser quarto e o pódio parecia questão de tempo.

De fato: mais duas voltas e Norris passou Ghiotto como se passa alguém no PlayStation. O próximo alvo de Norris era De Vries, que fazia de tudo para dificultar as coisas. Em vão: Lando fez a ultrapassagem logo na parte mista, subindo para segundo. Sette Câmara, ainda líder, estava com 4s de vantagem sobre o companheiro.
 
Outra briga bonita de se ver envolvia dois italianos – Ghiotto e Fuoco. Luca se esforçava ao máximo para se defender, mas acabou levando um lindo ‘x’ de Antonio na última curva.
 
Norris fazia uma corrida, sem qualquer exagero, épica. A tal vantagem de 4s de Sette Câmara foi eliminada em duas voltas e meia. Na sequência, abriu 7s em três voltas. Além de o britânico estar voando, o brasileiro parecia sofrer com o acerto do carro na pista molhada. Tanto que De Vries e Fuoco, juntos, atacaram Sérgio ao mesmo tempo e fizeram ultrapassagens do jeito que quiseram.
 
Depois, a briga passou a ser entre os próprios De Vries e Fuoco. O italiano vinha com muita gana, mas esbarrava na pilotagem defensiva do belga. Melhor para Aitken, que, depois de passar Sette Câmara, começou a se aproximar rapidamente da briga pelo pódio.
Sérgio Sette Câmara largou na pole, mas não ficou em primeiro por muito tempo (Foto: Reprodução)
Pouco depois, a pista começou a ficar seca demais. E Sette Câmara tirou proveito disso ao colocar slicks antes dos outros. Foi a manobra crucial para passar tanto Fuoco quanto Aitken e voltar ao terceiro lugar, no pódio. Quem se deu mal com a transição foi justamente o italiano, que caiu de segundo para quarto por dificuldades na primeira volta de pneu seco em pista úmida.
 
Na altura da volta 20 de 34, a ordem era a seguinte: Norris, De Vries, Sette Câmara, Fuoco, Aitken, Albon, Merhi, Fukuzumi, Ghiotto e Markelov.
 
Conforme a pista secava, Norris se mostrava vulnerável. A vantagem de 12s logo caiu para 6s. Não só o britânico estava mal, como também De Vries voava, anotando as voltas mais rápidas da corrida.

O resultado veio depois: sendo 0s8 mais rápido por volta, o holandês passou com certa tranquilidade. A impressão era de que a ultrapassagem viria com facilidade – como de fato veio. Depois disso, Norris seguiu em queda livre. Sette Câmara e Fuoco, juntos, se aproximavam rapidamente daquilo que viria a ser a briga pelo segundo lugar.
 
Sette Câmara colou em Norris com duas voltas para o fim e teve duas chances de tentar ultrapassagem. As duas na curva um, as duas com o mesmo resultado: indo para a parte úmida do asfalto, o brasileiro perdeu controle e tempo. Isso permitiu que Fuoco tomasse o terceiro lugar.
 
Na penúltima curva da última volta, Sette Câmara foi para o tudo ou nada e mergulhou para dar o troco em Fuoco. Não deu certo: o brasileiro tocou e rodou o italiano. Foi uma dádiva para Norris, que viu garantido o segundo lugar.

F2, GP da Hungria, Hungaroring, Corrida 1, Final:

1 NYCK DE VRIES HOL PREMA 40 voltas  
2 LANDO NORRIS ING CARLIN +16.5  
3 ANTONIO FUOCO ITA CHAROUZ +20.7  
4 JACK AITKEN ING ART +21.8  
5 ALEXANDER ALBON TAI DAMS +23.0  
6 LUCA GHIOTTO ESP CAMPOS +28.6  
7 SÉRGIO SETTE CÂMARA BRA CARLIN +29.0  +10s
8 ARTEM MARKELOV RUS RUSSIAN TIME +35.5  
9 TADASUKE MAKINO JAP RUSSIAN TIME +36.3  
10 NIREI FUKUZUMI JAP ARDEN +37.1  
11 ROBERTO MERHI ESP MP +37.9  
12 ARJUN MAINI IND TRIDENT +38.3  
13 SEAN GELAEL INA PREMA +39.1  
14 ALESSIO LORANDI ITA TRIDENT +39.8  
15 ROY NISSANY ISR CAMPOS +48.0  
16 MAXIMILIAN GÜNTHER ALE ARDEN +53.2  
17 LOUIS DELÉTRAZ SUI CHAROUZ +1:13.6  
18 RALPH BOSCHUNG SUI MP +1 volta NC
19 NICHOLAS LATIFI CAN DAMS +5 voltas NC
20 GEORGE RUSSELL ING ART +23 voltas NC