F2 e F3 estudam nova mudança de formato e calendário para temporada 2022

Bruno Michel, diretor-executivo da Fórmula 2 e da Fórmula 3, refletiu sobre o novo formato introduzido em 2021. O dirigente vê pontos positivos, mas quer mudanças

O duelo entre Max Verstappen e Lewis Hamilton no GP da Inglaterra por uma nova perspectiva (Vídeo: F1)

Com a temporada 2021 em andamento, sob um novo calendário e formato de fim de semana, a Fórmula 2 e a Fórmula 3 já identificam problemas. A gestão das categorias de acesso à Fórmula 1 já pensa em fazer alterações para a temporada de 2022.

Em entrevista veiculada pela revista Autosport, Bruno Michel, diretor-executivo da F2 e da F3, comentou sobre o novo formato. Este inclui três corridas por fim de semana e duas inversões no grid após a classificação. Apesar de reconhecer aspectos positivos, o chefão da F2 enxerga que é necessário fazer ajustes em termos de calendário.

“Vamos analisar todos os prós e contras, mas não é uma decisão fácil para se tomar. De modo geral, diria que o novo formato funciona muito bem na pista, fico feliz por isso. Porém, a grande questão é: ele faz sentido em termos de calendário?”, questionou Michel.

“Se olharmos de forma objetiva a situação, diria que o primeiro problema é a diferença de tempo entre cada fim de semana. Isso é algo que entendemos, e as respostas dos fãs foram bastante óbvias”, disse.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Formato de três corridas e duas inversões de grid na classificação podem soar estranhos para os fãs, segundo o diretor executivo da F2 (Foto: F3)

Na visão do mandatário, pontos como o espaçamento entre as corridas e a complexidade do formato do fim de semana podem causar o afastamento dos fãs.

“É mais difícil se envolver com um campeonato quando você tem um intervalo de um ou dois meses entre os eventos. Quando estávamos em Silverstone, todos já tinham esquecido o que aconteceu em Baku. É aí que mora o problema. É algo que precisamos olhar com cuidado, já que não queremos perder fãs por conta disso”, analisou.

“O segundo ponto que eu enxergo, é que o formato é um pouco complicado de entender. Precisamos explicá-lo a toda hora. O fato é que se tivermos corrida a cada mês ou a cada um mês e meio, isso não ajuda os fãs a entenderem o formato”, continuou.

“Uma coisa que as pessoas dizem é que gostariam de ver a F3  e a F2 com a F1 no mesmo fim de semana. Isso é bom, mas não nos deixa ajudar a Fórmula 1 da forma que gostaríamos, já que não conseguimos fazer tantas corridas. Por fim, para a F3 é ok, mas para a F2, um fim de semana de três corridas significa muito trabalho para as equipes”, concluiu Michel.

A Fórmula 2 retorna às pistas entre os dias 9 e 11 de Setembro com a etapa da Itália, em Monza. Já a Fórmula 3 retorna no próximo fim de semana com a etapa da Hungria, no Hungaroring.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar