F2

Ghiotto segura De Vries e vence corrida 2 da F2 em Sóchi. Sette Câmara é 6º

Luca Ghiotto ficou sob pressão do começo ao fim, não conseguindo se desvencilhar de Nyck de Vries. A pressão não surtiu resultado, com o italiano vencendo. A prova foi marcada por um grave acidente entre Nobuharu Matsushita e Nikita Mazepin

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Berlim
Luca Ghiotto passou 15 voltas com ninguém menos que o campeão Nyck de Vries no espelho retrovisor, pronto para dar o bote e levar a vitória na corrida 2 da Fórmula 2 em Sóchi, realizada neste domingo (29). Foi difícil conter o holandês, mas o italiano deu conta do recado e assegurou uma visita ao topo do pódio.
 
De Vries passou as últimas voltas a menos de 1s de distância, mas sofreu para de fato mergulhar e tentar tomar posição. O mesmo valeu para os outros pilotos do pelotão dianteiro, presos em um verdadeiro trenzinho. Callum Ilott, também sem reação, se contentou com um terceiro lugar.
 
Sérgio Sette Câmara cruzou a linha de chegada em quarto, mas caiu para sexto. É que o brasileiro recebeu 5s de punição por infração na largada, quando não retornou à pista de forma considerada segura pelos comissários. Dessa forma, Nicholas Latifi e Guanyu Zhou foram computados à frente do brasileiro. A zona de pontos ainda teve Sean Gelael em sétimo e Giuliano Alesi em oitavo.
Luca Ghiotto recebeu pressão do começo ao fim (Foto: Reprodução/TV)
A corrida começou com um acidente de maiores proporções, envolvendo Nikita Mazepin e Nobuharu Matsushita. O toque aconteceu quando Mazepin, que escapou da pista na curva 2, tentou voltar à pista o mais rápido possível na 3. O russo quebrou a suspensão traseira esquerda em toque com Jack Aitken, perdendo controle e se enroscando com Matsushita, que fazia o traçado normal e estava em vias de liderar a prova. O japonês levou a pior, indo reto e batendo com força na barreira de proteção.
 
Mazepin deixou o carro por conta própria, enquanto Matsushita causava preocupação. A bandeira vermelha não era apenas para consertar a barreira de proteção, mas principalmente para que o piloto da Carlin fosse atendido. Após 30 minutos de tensão, veio o comunicado da F2 de que os dois pilotos estavam sem fraturas e iriam ao hospital para exames.
 
Saiba como foi a corrida 2 da F2 em Sóchi
 
A prova começou da forma mais caótica possível. Mazepin manteve a liderança na aproximação da primeira freada, mas isso enquanto Delétraz perdia controle logo atrás. O suíço, largando em sexto, perdeu a traseira e quase fez um strike no pelotão dianteiro. Enquanto tentavam desviar e voltar à pista, Mazepin e Aitken tocaram rodas, com o russo quebrando a suspensão traseira esquerda. Sem controle, Nikita atingiu Matsushita. Foi batida forte entre os dois, com o japonês acertando a barreira de proteção com força.
 
A bandeira vermelha foi acionada de imediato. Primeiro porque a barreira de proteção estava muito danificada, segundo porque os pilotos precisavam de atendimento. Mazepin saiu do carro por conta própria, mas não havia informações sobre Matsushita. A situação era tensa, já que a transmissão de TV não mostrava replays – indicando que o japonês não estava 100% bem.
 
Após quase 30 minutos de suspense, a F2 informou que os pilotos não tinham sinais de fraturas. A dupla seria levada a um hospital para novos exames, isso enquanto a prova se aproximava de uma relargada.
O forte acidente entre Nobuharu Matsushita e Nikita Mazepin (Foto: Reprodução/TV)
Mais 20 minutos se passaram antes da relargada. Ghiotto era o líder agora, relargando com tranquilidade. Illott, segundo, tinha De Vries imediatamente atrás. Isso era sinal de perigo: o campeão da F2 não pensou duas vezes antes de mergulhar e tomar a posição.
 
Sette Câmara fez algo parecido com Latifi na briga pelo quarto lugar. O brasileiro conseguiu ganhar a posição, mas teve uma notícia péssima depois: por sair da pista e não retornar corretamente na primeira largada, o brasileiro recebeu punição de 5s. Boschung e Delétraz tiveram o mesmo destino.
 
A briga pela liderança era preparada em banho-maria. De Vries conseguia ver Ghiotto, mas tinha dificuldades para realmente ganhar a posição.
 
O que era quente mesmo era a briga pelo nono lugar, com Schumacher e Alesi batendo rodas. O alemão tentava passar, mas não conseguiu. Pouco depois, Mick precisou ir aos boxes para abandonar a corrida, aparentemente com danos na suspensão traseira direita.
Sérgio Sette Câmara terminou em quarto, mas caiu para sexto (Foto: FIA F2)
A corrida seguiu ainda com De Vries pressionando Ghiotto. A briga tinha potencial, mas não decolava – Nyck não conseguia se aproximar o suficiente na aproximação da curva 2.
 
O resultado não poderia ser diferente: apesar da velocidade de De Vries, Ghiotto fez o que precisava para se sustentar na liderança e conquistar uma nova vitória na temporada da F2.

F2 2019, Sóchi, corrida 2:

1 L GHIOTTO UNI-Virtuosi 15 voltas  
2 N DE VRIES ART +0.7  
3 C ILOTT Charouz +1.6  
4 N LATIFI DAMS +3.3  
5 G ZHOU UNI-Virtuosi +3.8  
6 S SETTE CÂMARA DAMS +7.3  
7 S GELAEL Prema +10.3  
8 G ALESI Trident +13.1  
9 J KING MP +14.8  
10 A MARKELOV Arden +16.7  
11 J AITKEN Campos +23.8  
12 R BOSCHUNG Trident +26.5  
13 M ISAAKYAN Charouz +27.4  
14 L DELÉTRAZ Carlin +31.9  
15 M SATO Campos +36.4  
16 T CALDERÓN Arden +43.0  
17 M RAGHUNATHAN MP +1:01.5  
18 M SCHUMACHER Prema +8 voltas NC
19 N MATSUSHITA Carlin +15 voltas NC
20 N MAZEPIN ART +15 voltas NC


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.