FIA muda regra e define motores com possibilidade de alteração de níveis de potência na temporada 2018/19 da FE

Fórmula E e FIA seguem em processo de resolução das regras para a quinta temporada do campeonato dos carros elétricos. Na última semana, o órgão máximo do esporte concluiu que os carros terão níveis em que despejam mais e menos potência durante uma mesmo corrida. A forma precisa como essa variação irá ocorrer, no entanto, será definida apenas na próximo mês de junho

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Embora a nova geração de carros, as novas baterias e o grid para a quinta temporada estejam praticamente resolvidos, nem todas as questões que circundam a revolucionária jornada 2018/19 da Fórmula E estão solucionadas. Algumas coisas seguem em processo de resolução e vão aparecendo conforme passam os dias. Na última semana, a categoria definiu mais uma novidade: os carros terão diferentes níveis de potência durante as corridas.

 
O planejamento da FE é que sejam dois níveis de potência, onde o mais alto cause um aumento de 20 a 25 kw e "uma melhora de performance em torno de 1s por volta", segundo a FIA. Ainda não está definido, no entanto, de que forma será distribuída a opção de variar os níveis.
 
A decisão foi tomada pelo Conselho Mundial de Automobilismo da FIA, que abriu o período para os testes de como será a implementação do novo formato. Detalhes adicionais serão definidos na próxima reunião do conselho, no próximo mês de junho nas Filipinas.
 
A dúvida está entre simplesmente escolher momentos de uma corrida para variar entre a maior ou a menor potência – algo visto como uma decisão mais de engenharia – ou a criação de um modo de 'push to pass' – tido como uma decisão de pilotos. Foi parte da explicação que Roger Griffiths, chefe da Andretti, deu para o site inglês 'e-racing365.com'.
Gen2 (Foto: Divulgação)
"Houve muita discussão sobre exatamente como o formato dos níveis de potência para as corridas vai funcionar", disse. "Será o caso de usar todos de uma vez só? Então talvez você comece a corrida num modo mais fraco e use o mais forte numa porção da corrida. Depois volta e termina no mais fraco", sugeriu.
 
"Há também uma conversa sobre ter algo no estilo de um 'push to pass' ou algum sistema para pilotos usarem de acordo com eles próprios. As simulações estão sendo feitas ao redor destes dois cenários. Acredito que a meta é instituir um formato que não seja muito previsível e não dê para todo mundo 'simular até a morte' como será o melhor uso", opinou.
 
"Queremos algo que seja mais controlado pelos pilotos que controlado pelos engenheiros", encerrou.
 
De acordo com o veículo inglês, a primeira simulação de corrida com o modo de mais alta energia será feito num dos testes dos construtores entre março e abril. Um eP de simulação também pode acontecer dentro de alguns meses, entre setembro e outubro, na pré-temporada, mas aí com os detalhes já definidos. A expectativa é que a pré-temporada retorne ao circuito de Donington Park.
#GALERIA(8326)
Outra mudança anunciada pela FIA é que o ponto entregue a quem marca a melhor volta de cada corrida será findado. O plano é que esse ponto passe a ser dado ao piloto mais eficiente – os detalhes ainda estão por ser definidos.
 
Por enquanto, a temporada segue em 14 de março com a estreia do eP de Roma. A nova temporada deve começar na segunda quinzena de dezembro.
”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube