Da Costa corre sozinho e vence primeira prova da maratona em Berlim. Massa bate

O primeiro dia da maratona de Berlim foi totalmente da DS Techeetah, que parecia correr uma prova só dela no Aeroporto de Tempelhof

É injusto até dizer que teve competição na corrida da tarde desta quarta-feira (5), no Aeroporto de Tempelhof, que abriu a maratona da Fórmula E em Berlim. Tirando uma investida de Jean-Éric Vergne quando António Félix da Costa abriu para buscar o modo ataque, o português jamais foi realmente incomodado. Líder do campeonato na parada, anotou pole e venceu a corrida do retorno. Enorme passe na busca do título.

A DS Techeetah parecia destinada a uma dobradinha, assim como no eP de Marrakech, mas novamente Vergne não manteve o ritmo até o fim. O francês despencou nos últimos cinco minutos e, sem energia, sequer completou. A segunda colocação foi de André Lotterer, na Porsche, com Sam Bird e a Virgin no terceiro lugar.

Nyck de Vries esteve em posição de ir ao pódio várias vezes no que foi uma ótima briga no top-6, mas encerrou em quarto, com Jérôme D’Ambrosio em quinto. Stoffel Vandoorne foi sexto, com Sébastien Buemi, Maximilian Günther, Lucas Di Grassi e Alexander Sims no top-10. A melhor volta? Da Costa, claro.

Di Grassi repetiu o que tem sido a toada do campeonato: larga muito atrás e salva uma dezena de posições. Já Felipe Massa, que vinha pontuando e bem melhor que o companheiro Edoardo Mortara, escapou da pista com 12 minutos para o fim e bateu, abandonando. O outro acidente do dia foi de Robin Frijns. Sérgio Sette Câmara fechou na 20ª colocação.

A Fórmula E volta amanhã, nos mesmos horários, com o fim da primeira rodada dupla.

ATUALIZAÇÃO: Após pouco mais de uma hora do fim da prova, a BMW anunciou que Günther fora desclassificado pelos comissários por usar mais energia que o permitido pelo regulamento. Assim, Di Grassi e Sims sobem, respectivamente, para oitava e nona colocações. O décimo posto fica com René Rast.

FÓRMULA E; BERLIM; ANTONIO FÉLIX DA COSTA;
António Félix da Costa (Foto: DS Techeetah)

Confira como foi a corrida

Antes da largada, na cerimônia de meio minuto de silêncio feita pela Fórmula E, apenas três pilotos ajoelharam, ecoando os atos antirracismo que tomaram os esportes internacionais: o bicampeão Jean-Éric Vergne e toda a equipe Mercedes, incluindo, claro, a dupla Stoffel Vandoorne e Nyck de Vries.

A saída de António Félix da Costa foi impressionante. Saindo da pole, o português abriu mais de 1s logo na primeira volta, voando na pista. Vergne defendeu o P2, ao passo que Felipe Massa foi o outro piloto do top-10 que ganhou posição: subiu para a oitava colocação, deixando Alex Lynn e Mitch Evans para trás. Maximilian Günther ganhou duas posições com a BMW, foi ao 11º lugar, mas Alex Sims perdeu uma e caiu para 18º. Em 15, Lucas Di Grassi também largou bem.

Logo de cara, direção de prova anunciou punições de 5s para Oliver Rowland e 10s para James Calado por conta de modificações feitas nos carros antes da corrida. Sérgio Sette Câmara passou também a ser investigado por conta um posicionamento equivocado na largada.

Após duas voltas, Da Costa tinha 2s de frente, mas com sete giros a diferença caíra para 1s3. Vergne começava a andar mais forte. André Lotterer se estabelecia no terceiro posto, quase 1s5 à frente de Sébastien Buemi.

Robin Frijns abandonou a corrida após toque com Max Günther e o muro (Foto: Reprodução/Twitter)

Evans devolveu a ultrapassagem para cima de Massa, mas a primeira dividida mais problemática aconteceu entre Günther e Robin Frijns. O holandês levou a pior e arrastou o carro da Virgin no muro. O lado direito do bólido lilás ficou destruído. Frijns estacionou na área de escape mais próxima e parou, causando o safety-car. Ainda havia 32 minutos no relógio.

Após seis minutos de intervenção do safety-car, bandeira verde. Rapidamente, duas mudanças no top-6: De Vries tirou Buemi da frente e assumiu o quarto lugar, ao passo que Sam Bird deixou Jérôme D’Ambrosio para trás e assumiu o sexto posto. Em seguida, Bird passou também Buemi quando o suíço abriu para tentar pegar o modo ataque. Buemi errou, aliás, e quase acertou D’Ambrosio na retomada.

Enquanto Bird tentava se aproximar da quarta colocação, De Vries encostou e levou Lotterer, ocupando o P3. Evans chegou a ganhar as posições de D’Ambrosio e Buemi quando ambos saíram para buscar o modo ataque, mas em alguns segundo os dois retomaram os postos.

Felipe Massa bateu sozinho no primeiro eP de Berlim (Foto: Reprodução/TV)

Com pouco mais de 12 minutos para o fim, Massa, que fazia corrida honesta, passou direto na curva e estampou o carro da Venturi na barreira de proteção: novamente corrida parada, agora pela bandeira amarela de pista inteira.

Vergne não tinha ritmo e logo ficou sem energia, por isso sequer completou a corrida. Da Costa venceu com barba, cabelo e bigode, ainda fez a melhor volta do dia. Evans também teve problemas no fim e ficou fora dos pontos. Os rivais da BMW, Günther e Sims, fecharam, respectivamente, em oitavo e décimo.

Fórmula E 2020, eP de Berlim, Aeroporto de Tempelhof, Corrida 1 Resultado Final:

1A.F DA COSTADS Techeetah36 voltas 
2A LOTTERERPorsche+5.445 
3S BIRDVirgin Audi+6.526 
4N DE VRIESMercedes+6.911 
5J D’AMBROSIOMahindra+13.212 
6S VANDOORNEMercedes+13.654 
7S BUEMINissan+14.926 
8L DI GRASSIAudi+17.311 
9A SIMSBMW+17.673 
10R RASTAudi+18.852 
11E MORTARAVenturi Mercedes+20.765 
12N JANIPorsche+21.039 
13A LYNNMahindra+21.603 
14M EVANSJaguar+22.482 
15O ROWLANDNissan+23.208 
16J CALADOJaguar+28.906 
17O TURVEYNIO+31.116 
18D ABTNIO+34.282 
19S. SETTE CÂMARADragon Penske+45.417 
20J.E VERGNEDS Techeetah+1 voltaNC
21N MÜLLERDragon Penske+1 voltaNC
22F MASSAVenturi Mercedes+12 voltasNC
23R FRIJNSVirgin Audi+28 voltasNC
24M GÜNTHERBMW DSQ

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube