De volta ao México, chefe da Audi ABT lembra ‘pisada na bola’ que custou título a Di Grassi: “Quando você erra assim, paga”

Lucas Di Grassi vivia um momento especial na temporada 2015/16 quando terminou o eP da Cidade do México. Mas logo o céu de brigadeiro derreteu frente aos olhos: um erro da equipe, que mandou um dos carros à pista abaixo do peso mínimo, fez com que o piloto fosse desclassificado. Hans-Jürgen Abt, chefe da Audi ABT, vê um erro humano como algo que acontece. Assim como acredita que a perda do título foi um pagamento necessário para o erro cometido

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Pouco mais de um ano atrás, a F-E desembarcava na Cidade do México pela primeira vez. Era um evento um tanto quanto catártico: a maior categoria de carros de corrida de energia limpa do mundo correndo na que foi considerada durante muitos anos a cidade mais poluída do planeta. Mas significava muito esportivamente. O confronto de Lucas Di Grassi contra Sébastien Buemi tomava contornos inimagináveis ao começo da temporada. Um erro, porém, mudou o rumo do campeonato. De volta ao México, Hans-Jürgen Abt, lembra as chances perdidas. Em entrevista concedida ao GRANDE PRÊMIO, mostrou a decepção que tenta esconder, mas é clara. Aquele erro, afinal, em matemática simples, custou o campeonato.

Di Grassi entrou naquela corrida espantosos quatro pontos atrás de Buemi. 'Espantosos', porque era claro que Buemi e a Renault e.dams tinham um carro muito superior a todos os outros. Lucas buscou uma vitória inconteste na prova mexicana, que o fez saltar para a ponta do campeonato: 101 pontos a 95 do suíço. Um resultado praticamente impossível para a metade do campeonato.
Lucas Di Grassi com punho erguido comemorando a vitória que seria extirpada horas depois (Foto: Reprodução/Twitter)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
E então o erro. Horas depois, a organização revelou a mudança no resultado. A Audi ABT colocou o segundo carro de Di Grassi à disposição com um peso abaixo daquele estipulado como mínimo. A desclassificação prevista em regra foi aplicada, e a vantagem de seis tentos se transformou em desvantagem de 22.

 
O erro se tornou ainda mais gritante com o passar das semanas, especialmente porque Di Grassi venceu as duas corridas seguintes, em Long Beach e Paris, e chegou a abrir 11 pontos na liderança a três etapas do final do campeonato. Mas Berlim e Londres acabaram confirmando o final mais esperado ao campeonato: o título de Buemi. Por apenas um único ponto.
 
Durante conversa com o GP em Buenos Aires, Abt tentou defletir a decepção que pode ter diminuído, mas ainda existe por aquele erro que custou caro demais. Especialmente por ter sido o segundo: não custa lembrar que no primeiro eP de Berlim uma modificação irregular numa aleta também fez Di Grassi ser desclassificado após uma vitória. Assim como o erro do México na segunda temporada, aquele erro, matematicamente falando, tirou de Lucas os pontos necessários para o título.
 
"Primeiro eu acho que somos seres humanos e às vezes cometemos erros. Foi isso que fizemos – erramos", admitiu Abt ao GRANDE PRÊMIO. O alemão garantiu que o time confia no controle de qualidade que possui, apesar dos dois erros mais custosos da história da F-E. "E aí você precisa lidar com as consequências. Perdemos duas vitórias em erros nossos, mas temos de seguir em frente. Temos um controle de qualidade em que confiamos pelo qual tentamos prever e resolver tudo", disse.
Hans-Jürgen Abt (Foto: Reprodução/Twitter)
Depois de um primeiro momento se valendo da máxima de que 'errar é humano', Abt evidencia que a sensação da derrota existe. Um erro bobo como o cometido no México – assim como o da Alemanha -, numa categoria de nível tão alto quanto a F-E, não passa incólume. No caso da Audi ABT, o pagamento foi o título ficar para a maior rival.
 
"Lidamos com pilotos – e pilotos cometem erros. Bom, às vezes as equipes cometem erros também. E não é trapaça, é só um erro. Mas quando você comete um erro numa categoria da mais alta classe, você paga. Fomos desclassificados, perdemos os pontos e perdemos o título. Foi uma pena, mas ainda estamos na categoria e temos tempo o bastante para continuar brigando pelo título", seguiu.

A realidade é cruel. E para a Audi ABT é cruel em dobro. 

O eP da Cidade do México larga às 19h (de Brasília) do próximo sábado, 1º de abril.

 

DEBATE QUENTE SOBRE AS ESTREIAS DE F1 E MOTOGP. ASSISTA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube