Envision diz que Jaguar “não faz nada errado”, mas admite: “Não gostaram de perder”

Sylvain Filippi analisou os motivos que causaram a queda de performance da Envision em 2024. Além da saída de Nick Cassidy e do desempenho ruim de Sébastien Buemi e Robin Frijns, sobrou até mesmo para a Jaguar, fornecedora de trem de força da equipe britânica

Nada satisfeito com o desempenho muito aquém do esperado da Envision na temporada 2024 da Fórmula E, Sylvain Filippi, chefe da equipe, avaliou os possíveis motivos da queda de performance e soltou o verbo até mesmo contra a Jaguar, fornecedora de trem de força do time de Sébastien Buemi e Robin Frijns. De acordo com o dirigente, a atual líder do Mundial de Equipes não gostou em nada de ter ficado atrás da cliente na classificação em 2023 e, por isso, “tentou encontrar maneiras” de evitar que o mesmo se repetisse no atual certame.

Após estrear na categoria elétrica em 2014, a escuderia dos carros verdes conquistou o primeiro e único título no ano passado, quando somou 304 pontos e superou a atual parceira, Jaguar, por apenas 12 tentos de diferença. Em 2024, porém, o cenário é totalmente o oposto: com 299 pontos somados, a equipe de Mitch Evans e Nick Cassidy — atual líder do Mundial de Pilotos — ocupa o topo da tabela, enquanto que a Envision é apenas a oitava colocada, com míseros 49 tentos. Restam apenas as rodadas duplas em Portland e Londres antes do fim do campeonato.

Os motivos para a queda, no entanto, parecem ser diversos. O primeiro deles, de acordo com Filippi, foi a saída de Cassidy. No ano passado, o neozelandês encerrou a competição na segunda colocação, 30 pontos atrás de Jake Dennis, da Andretti, sendo o responsável por mais de 65% dos pontos conquistados pela Envision na campanha que terminou com o título da Fórmula E. Antes da rodada derradeira, porém, o #37 já havia assinado com a Jaguar para 2024, com quem está muito próximo de conquistar o prêmio individual máximo.

“Obviamente, Nick deixou a nossa equipe e foi para a Jaguar, e está fazendo um excelente trabalho por lá. Então, perdemos um ativo importante”, disse Sylvain em entrevista ao portal The Race.

EPS1009_152247SMG_5184-2048x2048
Cassidy está muito próximo de conquistar o título da Fórmula E (Foto: Fórmula E)

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Apesar do relacionamento forte que existe entre fabricante e cliente, envolvendo até mesmo um certo grau de compartilhamento de dados após cada fim de semana de corrida, o mandatário da Envision não poupou palavras ao vociferar contra a Jaguar, deixando claro que o time inglês poderia estar se esforçando mais para ajudar. E pode até mesmo existir um certo sentimento de vingança por causa do resultado da temporada passada, de acordo com Filippi.

“É evidente que a fabricante não gostou [de ser derrotada pela equipe cliente]. E claramente estão tentando encontrar maneiras de garantir que isso não aconteça novamente”, acusou Sylvain. “Pode acontecer de diferentes formas. Em última análise, eles não estão fazendo nada de errado. Mas eles possuem dias de testes que nós não temos”, continuou.

“Então, estamos começando a sentir os efeitos de não ser uma fabricante. Por exemplo, os pneus deste ano comportam-se de forma diferente em comparação com os do ano passado, mas sem dias de testes é muito difícil entendê-los ao máximo. E há muitas outras coisas”, acrescentou o dirigente.

Nem mesmo as aclamadas e, ao mesmo tempo, odiadas corridas de pelotão escaparam da análise do francês. De acordo com Filippi, a Envision se sobressaía estrategicamente em relação às rivais até o ano passado, o que não acontece mais em 2024. “Essas corridas de pelotão realmente não são mais as mesmas do ano passado. Fomos os primeiros a entendê-las, mas agora todas as equipes já as compreendem melhor”, explicou.

Sébastien Buemi somou apenas 24 pontos em 2024 (Foto: Fórmula E)

“Agora, obviamente, cada equipe sabe o que fazer e estamos todos muito mais próximos em termos de estratégia. Além disso, o nível de risco aumentou dramaticamente em comparação com o ano passado”, alertou. “Houve algumas mudanças na Jaguar desde o ano passado, mas o carro tem sido rápido na maior parte do tempo, quando olhamos os dados. O problema tem sido na classificação em alguns locais e, em seguida, o acerto na gestão da corrida. No geral, esse tem sido o principal problema”, admitiu Sylvain.

Por fim, o chefe da Envision também revelou que tanto Buemi quanto Frijns tiveram dificuldades nas corridas de pelotão nesta temporada. “Os meus pilotos ficaram realmente impressionados. Se você falar diretamente com eles, vai ouvir que este não é o tipo de corrida a que estão habituados. Eles são pilotos muito bons. Mas isto é diferente. Claramente alguns pilotos abraçaram esse tipo de corrida melhor do que outros no grid. Isso está bastante claro”, observou.

“Ninguém duvida da capacidade de corrida de ‘Seb’ e Robin. Não são apenas os meus pilotos, outros não gostam ou gostam desse tipo de corrida, e isso também tem um impacto nos resultados. Portanto, há muito o que pensar”, finalizou Filippi.

Fórmula E retorna com a rodada dupla do eP de Portland entre os dias 28 e 30 de junho. Todas as sessões de pista terão transmissão AO VIVO e COM IMAGENS nos canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube e no Kwai.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Formula E direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.