carregando
FE

Evans ignora problemas e vence eP da Cidade do México com sobras. Di Grassi é 6º

O eP da Cidade do México, terceira etapa e quarta corrida da Fórmula E na temporada 2019/20 teve problemas dos seus, com as batidas de Nico Müller e Felipe Massa, boas brigas e um vencedor dominante que ignorou isso tudo: Mitch Evans

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Quarta corrida do campeonato da Fórmula E, o eP da Cidade do México deste sábado (15), mostrou uma face diferente daquilo que fora visto nas primeiras duas corridas. É algo que anima em termos de campeonato. A BMW, por exemplo, passou longe de ser dominante e a Jaguar, de pouco brilho no início do campeonato, venceu com tranquilidade. Mitch Evans largou em segundo, assumiu a ponta na primeira curva e depois só abriu. Venceu com bons segundos de vantagem, ainda que atrás dele a briga fosse boa. 

O grande momento do neozelandês foi logo na largada. Evans, largando em segundo, escolheu onde iria atacar o pole André Lotterer. Ficou com a faixa de dentro e fez o alemão forçar, tocar e sair da pista. Daquele momento em diante, Evans não seria incomodado sequer levemente. A vitória impulsiona Evans à liderança do campeonato. 
 
António Félix da Costa demorou a atacar, mas a segunda metade da corrida do português foi extremamente divertida. Teve um festival de troca de posições com o companheiro Jean-Éric Vergne que incluiu uma ordem da DS Techeetah para que deixasse o francês passar, uma vez que não conseguia alcançar Sébastien Buemi. Mas Vergne também não foi capaz e abriu a porta para Da Costa, que aí, na segunda tentativa, ultrapassou o suíço. Além disso a pressão dele fez com que Nyck de Vries e Sam Bird, que eram quinto e segundo colocados nos respectivos momentos, errassem a abandonasse a corrida.
 
Buemi conseguiu segurar o terceiro lugar e foi ao pódio, enquanto Vergne fechou na quarta colocação. Alexander Sims, Lucas Di Grassi, Oliver Rowland, Edoardo Mortara, James Calado e Pascal Wehrlein terminaram, nesta ordem, com o restante das dez primeiras colocações. 
 
Felipe Massa cometeu um erro logo no início e abandonou. Aliás, entre os que abandonaram a corrida por erros próprios estão Massa, De Vries, Bird, Ma Qing Hua, Nico Müller. André Lotterer e Stoffel Vandoorne levaram azar com toques e banners presos em seus carros.

A Fórmula E retorna em duas semanas, 29 de fevereiro, com o eP de Marrakech.
Mitch Evans (Foto: Reprodução)
Confira como foi a corrida:

Após a corrida do eTrophy ser atrasada em algumas horas e passada para depois da Fórmula E para que a organização deixasse a barreira de proteção atingida por Daniel Abt mais cedo totalmente restaurada, a largada ficou na hora certa. Mitch Evans, em segundo, partiu bem e chegou na primeira curva pronto para atacar o pole André Lotterer. O alemão ficou por fora e foi até o fim, mas Evans tinha se colocado em boa posição e aproveitou a fresta. Lotterer ficou no lado sujo, tocou a Jaguar de Evans e saiu rapidamente da pista. Como resultado, perdeu duas posições.
 
Quem também saiu bem foi Sébastien Buemi, de quarto para segundo, enquanto Nyck de Vries, que inicialmente subiu para segundo, caiu para sexto após escapada. O problema, entretanto, aconteceu mais atrás. Nico Müller passou direto na curva um logo na segunda volta. Batida frontal forte que forçou safety-car na pista.
 
Após sete minutos, bandeira verde de volta. Quem logo colocou as asinhas de fora, com o perdão do trocadilho, foi Sam Bird, com uma ultrapassagem notável sobre Lotterer. Robin Frijns e De Vries também rapidamente deixaram o pole da corrida para trás. Jean-Éric Vergne, António Félix da Costa, Edoardo Mortara e Stoffel Vandoorne formavam o top-10 naquele momento. 
 
Com 32 minutos ainda no relógio, transmissão mostrava Felipe Massa com o carro bastante danificado e encostando numa área de segurança - Massa não conseguia travar o carro após cruzar a curva um: bateu com a lateral e não deu para recuperar. Era o fim de corrida para ele, enquanto Lucas Di Grassi ultrapassava Vandoorne pelo 10º posto. Buemi recebia a pressão de Bird, mas ainda segurava.
O acidente de Müller (Foto: Reprodução)
O modo ataque já era comum após 15 minutos: mais da metade do pelotão havia acionado. Lotterer, entretanto, não era um destes. Após ficar com a asa dianteira danificada desde o toque na largada, o alemão acabou ficando com um banner da pista preso no carro e sofreu um totó na sequência. Com a asa tocando o pneu, precisou ir aos boxes e viu a corrida comprometida de vez. 
 
As duas Mahindra já tinham punições por conta da troca de câmbio, mas James Calado recebia uma outra por ultrapassar sob safety-car e Neel Jani também recebia um drive-through por infrações técnicas. 
 
Na frente, Bird deixava Buemi para trás e se via na caça ao líder Evans. Estava pouco mais de 2s5 distante ainda com mais da metade da corrida pela frente. Nenhum destes, no entanto, ficou com o FanBoost: Vandoorne, Da Costa, Di Grassi, De Vries e Lotterer foram os agraciados. 
 
A briga pelo sexto lugar contava com a dupla da DS Techeetah e, assim como em Santiago, Da Costa deixava Vergne para trás e partia para disputar as primeiras colocações. Di Grassi se recuperava também e já subiu ao oitavo posto após passar Mortara. Vandoorne, o líder, colava em décimo. 

O ritmo de Da Costa era muito bom. O português partiu de vez para o ataque. Quando chegou a De Vries, o holandês quis levar a defesa até o último momento para espremer o rival e não conseguiu frear. Da Costa passou tomando o quarto lugar, enquanto De Vries acertou Frijns, que nada tinha com o assunto. Fim de corrida para o piloto da Mercedes, enquanto Frijns caiu para décimo. 
 
O grupo dos cinco primeiros colocados abria. Evans liderava com Bird em segundo, Buemi, Vergne e Da Costa, que dara o troco, na sequência. Logo atrás, Vandoorne passava Di Grassi de volta e os dois se estabeleciam nas posições seis e sete. 
 
O que pegava fogo, entretanto, era a disputa dos companheiros. A DS Techeetah mandou Da Costa deixar Vergne passar após o português tentar e falhar em chegar nas posições de pódio. Vergne falhou também, o que fez com que Da Costa atacasse novamente e retomasse o posto. Em meio a tudo isso, o último colocado da prova, Ma Qing Hua, batia e abandonava. 
Antonio Félix da Costa (Foto: FIA Fórmula E)
Sumida na corrida, a BMW dava o alô: Alexander Sims ultrapassava Di Grassi pela sétima colocação. Da Costa conseguiu, enfim, entrar no pódio: ultrapassou Buemi com alguma tranquilidade e assumiu o terceiro lugar. 

Da Costa atacou Bird e, em meio às trocas de posições, Bird passou direto e abandonou. Safety-car? Com o carro da Virgin parado no muro, a decisão foi deixar e não interferir na corrida. Quem também bateu foi Vandoorne, que pegou outro banner perdido na pista. 

Era o sinal de que estava acabando. Com Vandoorne lento desfilando na última volta, Evans completou uma vitória tranquila com 4s2 de vantagem para Da Costa. Buemi fechou o pódio, enquanto Vergne, Sims, Di Grassi, Rowland, Mortara, Calado e Wehrlein pontuaram. Sims ainda levou o tento extra da volta mais rápida. 

Fórmula E 2020, eP da Cidade do México, Resultado Final:

1 M EVANS Jaguar 36 voltas  
2 A.F DA COSTA DS Techeetah +4.271  
3 S BUEMI Nissan +6.181  
4 J.E VERGNE DS Techeetah +14.331  
5 A SIMS BMW +19.244  
6 L DI GRASSI Audi +28.346  
7 O ROWLAND Nissan +29.750  
8 E MORTARA Venturi Mercedes +30.204  
9 J CALADO Jaguar +30.796  
10 P WEHRLEIN Mahindra +31.132  
11 J D'AMBROSIO Mahindra +32.818  
12 R FRIJNS Virgin Audi +33.665  
13 M GÜNTHER BMW +35.512  
14 B HARTLEY Dragon Penske +36.399  
15 O TURVEY NIO +50.888  
16 N JANI Porsche +1:04.891  
17 S VANDOORNE Mercedes +1 volta NC
18 S BIRD Virgin Audi +5 voltas NC
19 D ABT Audi +6 voltas NC
20 M QING HUA NIO +11 voltas NC
21 N DE VRIES Mercedes +18 voltas NC
22 A LOTTERER Porsche +25 voltas NC
23 F MASSA Venturi Mercedes +30 voltas NC
24 N MÜLLER Dragon Penske +34 voltas NC


Paddockast #48
MELHORES PILOTOS BRASILEIROS DA DÉCADA


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.