Investidor desiste de compra, e DS Techeetah fica com futuro incerto na Fórmula E

Com um novo investidor voltando atrás na negociação para a compra da DS Techeetah, o futuro da equipe se torna incerto já para 2021/22. A informação é do site The Race

Assista aos melhores momentos do GP da Bélgica deste domingo (Vìdeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Presente na Fórmula E desde a temporada 2016/17, a DS Techeetah tem uma história vencedora, com títulos de Pilotos e de Equipes. E, mesmo assim, o futuro se torna incerto: segundo informações do site britânico The Race, a equipe não conseguiu firmar um acordo de investimento para 2021/22, deixando a permanência no grid em xeque.

O empresário canadense Anthony Di Iorio, conhecido por ser um grande investidor em criptomoedas, tinha interesse em comprar parte da equipe e reposicionar a marca Techeetah. Esta pertence atualmente ao SECA, grupo chinês de mídia esportiva, que busca ser apenas uma acionista minoritária da escuderia nos próximos anos. Di Iorio esteve nas últimas etapas da temporada em Nova York, Londres e Berlim, e encaminhava o acordo pensando, principalmente, em 2022 e o desenvolvimento dos carros Gen3. No entanto, as conversas foram encerradas. Em resposta ao The Race, o mandatário não deu muitos detalhes, mas disse que o negócio “não fazia mais sentido”.

“Foi uma série de razões diferentes que, como decisão de negócios, não faziam sentido neste momento. Eu dei o meu melhor, mas houve uma infinidade de razões pelas quais não pude prosseguir”, explicou Di Iorio.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

António Félix da Costa tem contrato por mais um ano com a DS Techeetah (Foto: Fórmula E)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Desejo à equipe nada além do melhor. Espero que as coisas se resolvam pelo lado deles. Foi incrível conhecer tantas pessoas lá”, acrescentou.

Uma possível razão para a reviravolta é o tempo de contrato da equipe com a SECA, que é longo. O empresário iniciou negociações ainda em junho mas, até o final de agosto, pouco evoluiu para que tudo estivesse acertado antes do ano que vem.

Agora, com a retirada de um investidor em potencial, o site britânico aponta que o futuro da dupla de pilotos da DS Techeetah é incerto. Isso respinga sobre os pilotos: António Félix da Costa tem contrato para 2021/22, enquanto Jean-Éric Vergne segue negociando a renovação. Curiosamente, a situação do francês seria mais tranquila caso a equipe feche as portas: Vergne tem contrato também para representar a Peugeot no Mundial de Endurance em 2022, enquanto Da Costa ainda não tem nenhum outro acordo firmado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar