“Com nada a perder”, Di Grassi vibra com vitória em Berlim e ainda sonha com título

Lucas Di Grassi podia arriscar porque estava distante da liderança da Fórmula E após a desclassificação de Londres. Por isso, tinha de vencer. E venceu

Vitor Fazio analisa: quais pilotos da Fórmula 1 deveriam considerar uma ida para a Fórmula E?

A última marca que Lucas Di Grassi e a Audi tinha nesta temporada 2021 da Fórmula E fora a desclassificação por manobra ilegal em Londres. Seria um fim deprimente para uma parceria que deu tão certo ao longo de tantos anos, mas ainda havia uma última etapa. Na rodada dupla de Berlim, que começou neste sábado (14) e encerra o campeonato, Di Grassi levou a melhor na primeira corrida, venceu e voltou a pensar no bicampeonato.

Di Grassi largou na terceira colocação, mas mostrou ritmo melhor que a dupla da DS Techeetah e não tardou a passar Jean-Éric Vergne e António Félix da Costa. A briga foi com Edoardo Mortara e durou até o fim – ambos cruzaram a linha de chegada praticamente lado a lado, mas com a Audi na frente. Recuperação de quem, pela situação do campeonato, conseguiu se arriscar mais.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Lucas Di Grassi se vê na briga pelo título (Foto: Audi Sport)
Paddockast #116: Quais as melhores e as piores duplas da Fórmula 1 2021?

“Muito importante espaço para correr nas últimas voltas, liderando a corrida. Foi uma prova diferente depois de perder em Londres por um detalhe, então vencer a corrida significa muito para mim e para a Audi”, disse.

“[Mortara] fez uma prova fantástica. Sabia que ele vinha muito rápido, porque estava rápido desde o começo, entao tentei abrir o máximo que eu podia com o modo ataque e tentei defender a posição no fim. Eu sabia que podia correr um pouco mais de risco, porque ele agora está na briga pelo título e também, por ser um grande piloto, pensaria duas vezes antes de tentar algo estúpido. Foi uma grande briga”, elogiou na transmissão oficial da Fórmula E.

“Tentamos vencer todas as corridas e atacar quando o carro é bom, e estava bom hoje. Tentamos poupar energia para o final, também. Eu tinha muito pouco a perder e tudo a ganhar, então podia me arriscar mais que os outros”, falou a Sat.1, detentora dos direitos na Alemanha.

Agora na sexta colocação do Mundial de Pilotos e apenas oito pontos atrás do líder Nyck de Vries – Mortara é o segundo com somente três de desvantagem -, Di Grassi pensa em ser campeão no domingo.

“Claro! Está tudo aberto e tenho certeza que se vencermos as duas corridas estaremos lá na briga pelo título. Se eu fizer a pole e vencer amanhã, somos campeões. É uma tarefa difícil, mas nisso que vou mirar e tentar o máximo possível. Nada temos a perder e é a última corrida da Audi”, finalizou.

A derradeira prova da temporada da FE está marcada para as 10h30 (de Brasília) de amanhã.

COMO SAÍDA DA AUDI DEIXA VAZIO NO GRID DA FÓRMULA E

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar