8º em St. Pete, Herta admite “grande erro de novato” e lamenta: “Tínhamos ritmo para terminar no top-5”

Colton Herta relatou um grande erro cometido durante relargada em São Petersburgo e atribuiu ao fato de não ter experiência na Indy. Para o americano, a Harding tinha carro para top-5 na estreia

Colton Herta foi um dos nomes de destaque do primeiro final de semana da Indy em 2019, mas deixou a etapa de São Petersburgo com um sabor agridoce. O americano, apesar do oitavo lugar, acredita que a Harding tinha potencial para mais e admite que cometeu um erro bobo ao tocar no muro em uma das relargadas.
 
O piloto de 18 anos explicou que deu uma vacilada antes da relargada e foi com força no muro, perdendo velocidade e até danificando seu carro. Agora, é hora de entender o que aconteceu.
 
"Foi duro, bem duro. Estava feliz com a dirigibilidade, não fiquei feliz com o resultado e acho que temos trabalho para fazer. Obviamente, eu sigo aprendendo, mas cometi um grande erro de novato na relargada. Perdi tempo quando toquei o muro na curva 3, não sei como segui na corrida, mas acho que quebrei algo no carro ali", disse ao site norte-americano 'Motorsport.com'.
Colton Herta chegou em oitavo em St. Pete (Foto: IndyCar)

Herta admitiu que o erro foi de principiante, mas falou também dos pontos positivos da etapa, como o desempenho surpreendente da Harding, equipe que mais se aproximou dos times grandes em St. Pete.

 
"Recuperar a temperatura dos pneus pretos nas relargadas é muito complicado e eu só fui reparar isso cometendo o ero. Foi difícil. Nós tínhamos ritmo para estar no top-5 em uma corrida sem erros. Se largássemos onde deveríamos, aí seria top-5 ou até pódio. Precisamos poupar combustível no fim e, mesmo assim, seguimos muito competitivos", completou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube