Alonso liga para transmissão americana para comentar corrida no Texas. E já não descarta correr na Indy em 2018

Em Montreal para a disputa do GP do Canadá, Fernando Alonso ligou para a TV norte-americana NBC para falar sobre a etapa do Texas da Indy e, ao ser questionado se considerava fazer uma temporada completa da categoria de Indiana, o espanhol apenas respondeu: "Por que não?"

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Se alguém tinha alguma dúvida do quanto Fernando Alonso ficou apaixonado pela Indy e seu meio, o sábado (10) à noite acabou de dirimir. Em Montreal para a disputa da sétima etapa do campeonato da F1, o espanhol resolveu ligar para a NBCSN, emissora que transmite a categoria, para participar da transmissão do GP do Texas. E na conversa, já não descartou ser piloto da Indy.

 
Alonso ficou tão chegado do mundo americano que se sentiu à vontade para falar com o narrador Kevin Lee e o comentarista Paul Tracy. A participação não durou mais do que 3 minutos, mas foi valiosa. Na última pergunta que Lee fez, a questão foi clara: “Fernando, você consideraria ser piloto na temporada toda em 2018?”. A resposta não foi hesitante: “Por que não?”
Fernando Alonso disse que está aberto a qualquer coisa (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Estou bem aberto a qualquer coisa. Eu tive de aprender muitas coisas para uma corrida e teria de aprender ainda mais para uma temporada inteira. Estou pronto para aprender e tentar achar o melhor cenário e o melhor carro possível. A Indy 500 é a melhor prioridade para a Tríplice Coroa, mas uma temporada toda na Indy? Por que não?", tornou a dizer Alonso, que foi a grande sensação das 500 Milhas de Indianápolis com o carro da McLaren Andretti.

Fernando liderou 27 voltas de sua corrida de estreia — e justamente em Montreal ganhou um quadro com uma foto com seu nome aparecendo na primeira colocação da torre do Speedway.

 
Na volta à F1, Alonso já teve de engolir a seco os problemas do motor Honda. No primeiro treino livre, deu uma volta cronometrada e, na seguinte, teve de estacionar a McLaren com problemas de vazamento e no câmbio. Superados os problemas, chegou a andar entre os dez primeiros. No fim das contas, vai largar em 12º na corrida deste domingo, fato que considerou uma pole, já que seu carro tem 80 cv a menos.

Dias atrás, na coletiva de imprensa da FIA, Alonso afirmou que, se a McLaren não vencer até setembro, não fica na equipe em 2018. Mas deixou claro, até então, que sua prioridade era permanecer na F1 e conquistar o sonhado terceiro título.

A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube