Indy

Após teste no Texas, Alonso admite que temporada completa na Indy “não está fora de discussão”

Fernando Alonso testou a McLaren que utilizará durante a Indy 500 no Texas. O veterano espanhol comentou que buscar a Tríplice Coroa seria mais do que especial e explicou que o calendário cheio atrapalhou uma possível temporada integral na Indy em 2019, mas que isso pode acontecer no futuro

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
Fernando Alonso fez seu primeiro teste com a McLaren que utilizará na edição 2019 da Indy 500. O espanhol deu 105 voltas no oval do Texas nas última terça-feira (9). Na expectativa de igualar o feito de Graham Hill e conquistar a Tríplice Coroa do automobilismo - depois de conquistar o GP de Mônaco na Fórmula 1 e as 24h de Le Mans -, Alonso falou dos planos para o futuro e do que ainda pode tentar na Indy.

O asturiano já participou da Indy 500 em 2017, chegou a liderar a corrida e acabou abandonando por problemas de motor. O espanhol comentou sobre a possibilidade de disputar a prova de forma consecutiva, até completar o objetivo de vencer. Alonso também falou sobre a "sorte" necessária para triunfar em Indianápolis.

“É uma possibilidade, definitivamente é uma possibilidade [seguir tentando até conseguir vencer]. Tomara que possamos pelo menos ser competitivos neste ano e sentir essa adrenalina, essa magia que apenas a Indy 500 tem. Em termos de vitória, sabemos o quão difícil é, respeitamos toda a corrida, respeitamos nossos adversários e é preciso de um pouco de sorte. Tem de ser o seu dia e, provavelmente, a corrida tenha que te escolher, de alguma forma, para vencer. Somos conscientes disso”, declarou Alonso. “Algumas coisas estão fora das nossas mãos, de modo que somente nos concentramos em tudo o que podemos fazer como equipe e fazer uma corrida perfeita. Quanto ao resultado da corrida, vamos ver no fim”, completou.
Fernando Alonso (Foto:Chris Owens/IndyCar)
Além de vencer as 24h de Le Mans em 2018, Alonso também triunfou em outra prova importante do endurance: as 24h de Daytona. O bicampeão do mundo citou que, até por conta de triunfo em janeiro, a sua Tríplice Coroa seria mais importante do que qualquer outra.
 
“Depois de vencer Le Mans no ano passado, a Indy 500 é o que falta, uma das grandes. Tive a sorte de vencer Daytona também no começo do ano, de modo que, se um dia vencer a Indy 500, não vai ser uma tríplice coroa, vai ser até um pouco mais”, comentou.

Após sair integralmente do grid da F1 em 2018, Alonso também teve o seu nome ventilado no grid da Indy de forma integral. O piloto não escondeu a possibilidade de competir em todas as corridas da categoria norte-americana, mas se comprometeu, por enquanto, com o calendário do WEC, no qual lidera o campeonato junto dos parceiros Sébastien Buemi e Kazuki Nakajima.
 
“Era uma possibilidade no ano passado, quando começamos a falar sobre a volta para a Indy 500. Acho que seria muito intenso para mim me comprometer com o campeonato em tempo integral em 2019, com o calendário do WEC e com as 24 Horas de Daytona. Não foi neste ano, mas acho que não está fora de discussão para o futuro. No momento, não estou pensando nisso”, completou.