Indy
21/09/2018 08:47

Carlin se diz pronta para alinhar terceiro carro na Indy e fala em “dever” de retornar ao grid da Lights

A temporada 2018 criou um clima expansionista na Carlin. Trevor Carlin, fundador da equipe, planeja alinhar um terceiro carro na Indy para atender alta demanda de pilotos. Além disso, um retorno ao grid da Indy Lights já em 2019 é visto como possível
Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
 Charlie Kimbalv (Foto: IndyCar)
A primeira temporada na Indy deixou a Carlin com gostinho de ‘quero mais’. Trevor Carlin, fundador da tradicional equipe britânica, já começa a planejar a expansão de dois para três carros em 2019. Isso porque o dirigente está confiante: capacidade técnica e demanda pela vaga existe, sim.
 
“A Indy está em um bom momento e nós temos vários falando com a gente sobre vir”, disse Carlin, entrevistado pelo ‘Motorsport.com’. “Parece que teremos muita demanda pelo terceiro carro, então vamos nos preparar de acordo. Ainda não sei quem pilotaria, mas estamos prontos para acomodar essa demanda por um terceiro carro em tempo integral. Espero que até o fim de outubro a gente já saiba quem é. Max [Chilton] e Charlie [Kimball] vão ficar, o plano pelo menos é esse. Estamos naquela fase de acertar um contrato. Já pedi o aluguel de um motor extra para a Chevrolet e eles disseram que não existe motivo para não apoiar um terceiro carro”, apontou.
 
A temporada de estreia da Carlin na divisão principal não foi particularmente brilhante – foram seis top-10 nas 34 tentativas com os carros de Chilton e Kimball. Mesmo assim, os resultados melhoraram na segunda metade da temporada, principalmente com Charlie, dono de um respeitável quinto lugar em Toronto.
A Carlin quer se expandir na Indy e na Lights (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Carlin ainda não aponta nomes para o tal terceiro carro, que pode até ser dividido por ao menos dois pilotos, mas tem um outro plano para o futuro: voltar a desenvolver seus próprios prodígios na categoria formadora, a Indy Lights.
 
“Acho que a Lights merece nosso apoio para formar a próxima geração de pilotos”, comentou. “Você vê Pato [O’Ward] e Colton [Herta] e o que eles fizeram na Lights. O Michael Andretti os preparou e eles subiram para a Indy. Acho que é quase nosso dever retornar à Indy Lights para começar a fomentar o futuro de jovens pilotos. A gente precisaria de menos de uma semana para deixar os carros da Lights prontos, só com as pequenas atualizações que chegaram desde a última vez que corremos lá”, apontou.
 
A Carlin esteve presente na Lights até 2017, quando optou por abandonar para concentrar esforços na Indy principal. Seria um retorno muito bem vindo ao campeonato formador, que só teve sete carros em tempo integral na temporada 2018.