Indy

Ferrucci assina com Dale Coyne e faz primeira temporada completa na Indy ao lado de Bourdais

Santino Ferrucci vai fazer sua primeira temporada completa na Indy. O jovem e controverso piloto norte-americano vai formar par com Sébastien Bourdais e terá estampado em seu carro o número #19
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Santino Ferruci (Foto: IndyCar)
 
Santino Ferrucci está de volta. O americano de 20 anos assinou com a Dale Coyne e vai guiar o carro #19 da equipe durante toda a temporada 2019 da Indy. Ferrucci, que fez quatro corridas em 2018, vai ser parceiro do veterano Sébastien Bourdais.
 
Por trás do acerto de Santino com a Dale Coyne está o Wasserman Media Group, um grupo de gestão de talentos que assinou com o americano e prometeu o colocar no grid da Indy em 2019.
 
"Não vejo a hora para que 2019 chegue. Já disse isso antes, sou extremamente grato ao Dale e à todo mundo da Dale Coyne por acreditar em mim e me dar essa oportunidade de disputar a temporada completa na Indy. Nessa fase da carreira, é muito importante ter comigo um grupo como o Wasserman Media. Gostei bastante da Indy em 2018 e estou ansioso para fazer o campeonato todo. Ainda serei um novato, mas sinto que eu já tenho alguma experiência que vai me ajudar na temporada que vem, mas também sei que tenho muito a aprender", disse o piloto do #19.
Santino Ferrucci vai ser titular na temporada 2019 (Foto: IndyCar)
Um dos pilotos cotados para o carro #19 era Pietro Fittipaldi, que foi quem guiou o carro nas corridas derradeiras de 2018. No entanto, o foco do brasileiro mudou e, agora, é Pietro quem ocupa o posto de reserva da Haas.
 
"Ficamos bem satisfeitos com as performances do Santino nessa temporada nas corridas que fizemos. Ele mostrou bastante maturidade e desejo de aprender e seguir melhorando. Ele poderia ter tido resultados ainda melhores em Portland e Sonoma não fosse o azar. Estamos animados em tê-lo na temporada toda em 2019 e continuar acompanhando a evolução dele", explicou o chefe da equipe Dale Coyne.
 
Ferrucci ficou mundialmente conhecido bem mais por seu comportamento do que por seus resultados. Então piloto reserva da Haas e membro do grid da F2, o americano bateu de propósito no companheiro de equipe Arjun Maini após a bandeirada final e só foi se explicar semanas depois.
 
Sem clima para seguir na F2 com contrato rompido com a Trident e saindo do radar da F1, Santino foi tentar a sorte na Indy e fez quatro corridas, indo bem em Portland, mas causando polêmica em Detroit ao bater em Spencer Pigot, que afirmou que o jovem piloto não respeitava quem já estava no grid.