Herta puxa trinca da Andretti e vence GP de Mid-Ohio 2. Dixon roda, mas chega em 10º

Colton Herta venceu pela primeira vez em 2020 no GP de Mid-Ohio 2. O americano foi bem seguro e comandou um 1-2-3 da Andretti no misto de Lexington. Josef Newgarden perdeu boa chance de encostar em Scott Dixon e chegou em oitavo, com o rival em 10º

A Andretti finalmente venceu em 2020. E triunfou em grandíssimo estilo: com trinca no GP de Mid-Ohio 2. Neste domingo (13), Colton Herta aproveitou a pole e comandou a corrida, puxando um pódio com Alexander Rossi e Ryan Hunter-Reay.

A prova poderia ter visto uma reviravolta tremenda no campeonato, mas não aconteceu. É que Scott Dixon cometeu um raríssimo erro, rodou sozinho e foi parar em último, mas se recuperou e ainda chegou na décima colocação. Enquanto isso, Josef Newgarden não aproveitou o vacilo do rival e foi oitavo, tirando pouquíssimos pontos para as três provas que faltam na decisão do título.

Graham Rahal repetiu o desempenho de sábado e foi quarto, logo atrás do trio da Andretti. Em quinto, Marcus Ericsson teve uma de suas melhores performances na carreira na Indy. Simon Pagenaud e Will Power foram os melhores Chevrolet, logo na frente de Newgarden.

Pato O’Ward, que chegou em Mid-Ohio com chances remotas de título, foi nono, ao menos reduzindo o estrago de um incidente na classificação. Takuma Sato, que também estava correndo por fora, foi só 18º.

A Indy volta no primeiro final de semana de outubro, com a rodada dupla do GP de Indianápolis 2. Mais tarde, a final, nas ruas de St. Pete.

Colton Herta venceu em Mid-Ohio (Foto: Indycar)

Saiba como foi o GP de Mid-Ohio 2

Após uma volta extra de bandeira amarela, a largada aconteceu às 14h03 (em Brasília). A pista estava seca, diferentemente do que aconteceu na classificação caótica da manhã. Colton Herta saiu bem e defendeu a primeira posição, enquanto Scott Dixon mergulhou bem e pressionou Santino Ferrucci.

Ferrucci fechou a porta e manteve a segunda colocação, mas se empolgou e causou uma grande confusão logo de cara. O americano foi passear na grama e voltou de forma totalmente atabalhoada, ignorando quem estivesse no caminho. E quem estava no caminho era justamente Álex Palou, companheiro de Dale Coyne, que foi acertado e coletou junto Felix Rosenqvist.

Palou teve danos na asa dianteira e foi aos boxes, enquanto Rosenqvist foi parar na barreira de proteção e por ali ficou parado. Marco Andretti, que saiu em sétimo, despencou para 21º após ir para a grama, enquanto Will Power escalou de 17º para 12º. A bandeira amarela, sumida no sábado, dava o tom do início da prova de domingo.

A relargada aconteceu na volta 5, com Herta disparando sem problemas na frente. A sequência da ordem tinha Dixon, Ryan Hunter-Reay, Alexander Rossi, Simon Pagenaud, Graham Rahal, Marcus Ericsson, Josef Newgarden, Rinus VeeKay e Power, dono de outra ótima saída.

Os melhores embates do começo da corrida aconteciam do sexto ao nono lugares. Ericsson, que iniciou muito forte, superou Rahal, que puxava um duelo bom também entre Newgarden e VeeKay. Dos ponteiros, só Josef tinha pneus duros, ou seja, provavelmente alongaria o stint.

Na volta 16, todo mundo menos Takuma Sato e Andretti foi para os boxes, numa cena que parecia até de bandeira amarela. De certa forma, foi. Enquanto todos trocavam, Dalton Kellett ia parar na brita, saindo totalmente da disputa.

Os pilotos relargaram na volta 20, com confusão já nas primeiras curvas, mas sem amarela. Sato e Andretti se mantiveram na frente, enquanto Herta os cercava de pneus duros e novos. Logo atrás, também de compostos duros, Dixon sofria com a falta de ritmo e era apertado por Hunter-Reay, fechando a porta na cara do americano. Quem se aproveitou disso foi Rossi, que passou Hunter-Reay e Dixon em poucos metros.

E tinha realmente algo de muito errado com Dixon. No 22º giro, um raríssimo erro cometido pelo neozelandês, mas que poderia ter impacto imenso no campeonato: Scott perdeu o carro e rodou sozinho, sendo jogado para a última colocação. Seu grande rival pelo título, Newgarden vinha em nono, se defendendo de Power e atacando Ericsson.

Os pneus de Andretti iam acabando na volta 25 e, assim, Herta, Rossi e Hunter-Reay se aproximavam. Ciente de que poderia atrapalhar os companheiros, Marco não dificultou tanto para Herta, afinal, Rahal estava quase junto na briga pelo quinto lugar, mas que se ampliava até o pódio pela fila atrás de Andretti.

Aí foi hora de drama para Andretti. Sem pneus, o piloto perdeu o carro e foi dar um passeio, perdendo não só o terceiro lugar como todos os outros. Em último, era hora de finalmente ir aos boxes.

Depois de ter alongado bastante o stint, Sato ia aos boxes e voltava em 18º, na frente apenas de Dixon e Andretti, que tinham acabado de parar também. No entanto, o japonês vinha em condições interessantes na corrida, com uma estratégia alternativa. Lá na frente, 1-2-3 da Andretti com Herta, Rossi e Hunter-Reay segurando Rahal.

A prova entrava em uma fase bem mais estudada e, ao que tudo indicava, os pilotos tiravam um pouco o pé para que conseguissem parar apenas mais uma vez até o final. Herta tinha 1s3 para Rossi, 2s1 para Hunter-Reay e 4s para Rahal. Pagenaud, Ericsson, Newgarden, Power, VeeKay e Pato O’Ward também surgiam no top-10, com Dixon em 19º.

Na volta 46, chegava a hora dos líderes nos boxes. Primeiro, Rossi, depois, Herta, Hunter-Reay, Pagenaud e O’Ward. Rahal, Ericsson, Newgarden e Power tentavam alongar mais um bocadinho.

No reposicionamento, Herta liderava com 1s1 para Rossi e 3s3 para Hunter-Reay. Rahal era o quarto, mas perderia a posição metros depois para Dixon, que estava em tática diferente e ainda pararia, em tese, mais uma vez. Ericsson, Pagenaud, Power, Newgarden e O’Ward vinham atrás, com Will tendo superado Josef nos boxes.

Takuma Sato liderou algumas voltas em tática diferente (Foto: Indycar)

Virava, então, uma prova que mesclava o ritmo de corrida com a necessidade brutal de poupar equipamento para se chegar até o fim. No meio disso tudo, um Dixon que alongava o que dava no stint, mas que parecia ao menos necessitar ainda de um splash-and-go.

Com 17 voltas para o fim, finalmente Dixon voltava aos boxes, colocava pneus duros e ficava com o 13º lugar até ali. Diante de tudo que aconteceu, minimizava bem o estrago, afinal, nem estava assim tão longe de Newgarden, o oitavo. O dano poderia ser mínimo.

Enquanto Newgarden seguia preso atrás de Power, Dixon ia tentando seguir a redução de danos. O neozelandês passou Max Chilton com 13 voltas pela frente e, assim, subiu para 12º. Herta, por sua vez, mantinha a distância para Rossi entre 1s5 e 2s.

Com pneus mais novos e mais combustível no tanque, Dixon era quem conseguia atacar no fim. O neozelandês passou sem problemas Harvey e partiu para tentar chegar em VeeKay nas últimas sete voltas. Havia a chance real de Scott colar em Josef depois de tudo.

Scott Dixon foi o destaque do fim da prova, recuperando terreno (Foto: Indycar)

Lá na frente, a impressão era de que a Andretti estava mais do que feliz com a trinca e não queria confusão. Assim, Herta, Rossi e Hunter-Reay seguiam na frente e sem se atacarem.

E foi assim que o trio ficou até o fim, com a Andretti quebrando um jejum de 17 corridas sem triunfos logo com uma trinca. Dixon, por sua vez, ainda passava VeeKay e salvava um improvável top-10, mantendo bem a distância para Newgarden.

Indy 2020, GP de Mid-Ohio 2, Final:

1C HERTAAndretti Honda1:34:17.39775 voltas
2A ROSSIAndretti Honda+1.383 
3R HUNTER-REAYAndretti Honda+2.497 
4G RAHALRLL Honda+3.085 
5M ERICSSONGanassi Honda+9.918 
6S PAGENAUDPenske Chevrolet+14.192 
7W POWERPenske Chevrolet+15.329 
8J NEWGARDENPenske Chevrolet+17.253 
9P O’WARDMcLaren Chevrolet+22.947 
10S DIXONGanassi Honda+30.509 
11R VEEKAYCarpenter Chevrolet+31.718 
12J HARVEYMeyer Shank Honda+36.752 
13M CHILTONCarlin Chevrolet+37.652 
14S FERRUCCIDale Coyne Honda+46.583 
15O ASKEWMcLaren Chevrolet+47.367 
16C DALYCarpenter Chevrolet+1:00.706 
17Z VEACHAndretti Honda+1:02.672 
18T SATORLL Honda+1:05.257 
19C KIMBALLFoyt Chevrolet+1:06.209 
20M ANDRETTIAndretti Honda+1 volta 
21D KELLETTFoyt Chevrolet+2 voltas 
22F ROSENQVISTGanassi Honda+71 voltasNC
23A PALOUDale Coyne Honda+73 voltasNC

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube