Indy 500 altera planos e reduz venda de ingressos a 25% da capacidade do IMS

Após anunciar 50% do IMS com público nas 500 Milhas de Indianápolis de 2020, a Indy voltou atrás e reduziu a quantidade de ingressos a 25% da capacidade do circuito

A Indy e o IMS confirmaram, nesta terça-feira (21), que as 500 Milhas de Indianápolis de 2020 vão acontecer com apenas 25% do autódromo ocupado pelo público. O anúncio indica uma redução substancial no número divulgado no final de junho, que dava conta de 50% dos lugares preenchidos pelos torcedores.

A decisão acontece em meio a uma onda de novos casos de coronavírus nos EUA, inclusive no estado de Indiana. Na nota divulgada, a Indy também informa que o uso de máscara vai ser obrigatório, o que não aconteceu em Elkhart Lake e Iowa.

A categoria informou, ainda, que a venda de ingressos se encerra na próxima sexta-feira (24) e que um protocolo com aproximadamente 100 páginas vai ser divulgado nesta quarta-feira (22), com diretrizes para evitar o contágio no evento. Além do uso de máscaras, os torcedores vão ter as temperaturas checadas na entrada da pista, vão receber um kit para higiene e ficarão posicionados em assentos distantes uns dos outros.

Indy 500 de 2020 terá portões abertos para 25% do público (Foto: Indycar)

“Em junho, anunciamos que a corrida iria acontecer e que a presença do público seria limitada a 50% da capacidade. Também deixamos claro que pretendíamos fazer as coisas de maneira diferente neste ano. Ao oferecer créditos aos fãs que já tinham comprado ingressos, encorajar as pessoas com mais de 65 anos a ficarem em casa, limitar a presença na parte interna, reduzir os ingressos disponíveis de camarotes e garantir aos fãs que a decisão de não comparecer não afetaria a prioridade ou o direito de renovar os ingressos para 2021, antecipamos agora que a presença do público estará em aproximadamente 25%. Receberemos os fãs, temos um plano agressivo e que foi concebido por meio de colaborações entre especialistas da saúde de âmbito nacional, estadual e local”, afirmou Mark Miles, CEO da Indy.

A corrida estava originalmente marcada para 24 de maio, mas teve sua realização neste ano ameaçada em razão da pandemia. Roger Penske, novo dono da Indy e também do IMS, deixou claro que não considerava as 500 Milhas de Indianápolis sem a presença do público.

A categoria vinha passando por espécies de testes antes da Indy 500, que acontece em cerca de um mês, em 23 de agosto. Em Elkhart Lake e em Iowa, o público voltou aos autódromos, inclusive com algumas imagens de aglomeração e nada de máscaras nas arquibancadas de Road America.

O estado de Indiana, do qual Indianápolis é a capital, tem um total de 58.607 casos confirmados de Covid-19 e 2.825 mortes, de acordo com os dados desta terça-feira. Os EUA ainda são o país com mais infectados e vítimas fatais do novo coronavírus. A Universidade Johns Hopkins informou que 3.858.686 testaram positivo para Covid-19, com mais de 141 mil mortos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube