Kanaan cita processo de reconstrução da Foyt e vê top-8 em 2018 possível: “Vamos lutar por algumas vitórias”

Tony Kanaan sabe que a Foyt não vai brigar por título em 2018, mas vê chances reais da equipe fechar a temporada dentro do top-8 e com algumas vitórias

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O otimismo toma conta da Foyt para a temporada 2018 da Indy. Totalmente reformulada na parte de engenheiros, mecânicos e até pilotos, a equipe impressionou na pré-temporada e na estreia em São Petersburgo. Para Tony Kanaan, um dos comandantes do projeto novo, o time não chega para ser campeão, mas tem grandes chances de encerrar o jejum de vitórias que dura desde 2013.

 
Para Tony, a parceria veio em ótima hora, já que a equipe e o piloto precisavam de coisas novas após um 2017 bem frustrante. A Foyt sofreu apesar dos bons Carlos Muñoz e Conor Daly, enquanto Kanaan não teve vida fácil na Ganassi.
 
"Temos muito trabalho pela frente para tentar reconstruir essa equipe com o AJ. Eles tiveram um ano muito duro em 2017 e eu também não tive um bom ano, então a gente sentiu que era hora de unir forças e tentar fazer alguma coisa acontecer", disse.
Tony Kanaan está confiante na quebra do jejum de vitórias (Foto: Indycar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

De acordo com o veterano, a Foyt não tem pretensão de chegar sendo campeã em 2018, mas pode, sim, sonhar com uma ou outra vitória. E o rendimento até aqui mostrou isso.

 
"Não estamos fingindo que, logo no primeiro ano, vamos chegar e tentar ganhar o campeonato. Mas eu acho, sim, que a gente pode lutar por algumas vitórias e acho que a meta tem de ser top-8 no final do campeonato, ajudaria bem a construir algo para o ano que vem. Tivemos uma bela classificação em St. Pete, fomos competitivos e acho que nossas esperanças são realistas", seguiu.
 
Kanaan também gostou do novo modelo da Indy, não apenas da Foyt. Para o brasileiro, já é um carro bem mais interessante que o do ano passado.
 
"Estou bem animado com o carro novo, é muito bom de guiar. Tem bem menos downforce, é bem mais rápido de reta. Acho que muita gente viu a primeira corrida e aquele tanto de ultrapassagem. É totalmente diferente do que era", completou.

Foyt e Kanaan buscam, juntos, acabar com o incômodo jejum de vitórias. A equipe não triunfa desde o GP de Long Beach de 2013, quando Takuma Sato venceu. Enquanto isso, Tony busca a primeira desde a etapa de Fontana no encerramento de 2014.
 
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube