Pagenaud exalta estratégia que “nunca tinha dado certo” e reclama de Newgarden: “Não precisava ter ido para cima”

Simon Pagenaud revelou que uma mensagem de texto de seu engenheiro no sábado mudou os rumos da corrida em Sonoma. O francês contou que chegou a duvidar da estratégia, mas que no fim se mostrou uma tacada de mestre. Pagenaud também aproveitou para reclamar de Josef Newgarden, dizendo que o companheiro foi muito agressivo na disputa pela liderança

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Simon Pagenaud deu o bote na corrida deste final de semana em Sonoma ao ousar com uma estratégia de quatro paradas. O francês revelou que chegou a duvidar da tática, mas que se convenceu de que era o melhor a fazer ainda no sábado, quando recebeu uma mensagem de seu engenheiro indicando o caminho das pedras.
 
O campeão de 2016 contou que seu engenheiro defendeu a escolha da tática ousada explicando que precisariam torcer por uma bandeira amarela para que tudo se encaixasse. No entanto, o ritmo de Simon foi tão bom durante a corrida que o francês conseguiu voltar de seu pit-stop extra na frente de Josef Newgarden.
 
"Meu engenheiro me mandou uma mensagem enquanto eu jantava na véspera da corrida dizendo que iríamos fazer quatro paradas. Eu, na hora, já fiquei sem entender nada, lembrei ele que quatro paradas nunca dariam certo em Sonoma e perguntei o motivo daquilo. Aí, ele me explicou: precisávamos de uma bandeira amarela para aquilo funcionar e, depois de algum tempo, ele me convenceu que, apesar do risco de terminarmos o campeonato ali para quinto ou sexto, valeria a pena tentar", disse o francês.
 
E, segundo Pagenaud, foi justamente na reta final da corrida que ele se tocou que era possível faturar a prova mesmo com a estratégia de paradas diferente. O gaulês considerou o GP de Sonoma aquele em que mais se desgastou o tempo todo na carreira.
Simon Pagenaud reclamou de Josef Newgarden de novo (Foto: IndyCar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Eu não tinha muita opção, na verdade. Estava em Sonoma no modo ataque total, então eu achei que aquela ideia era válida, que deveríamos tentar mesmo. Eu fui abrindo 10, 11, 12s para o Josef e aí que reparei que poderia conseguir vencer mesmo sem a bandeira amarela. Meu carro estava fenomenal, mas acho que foi a corrida em que eu mais acelerei na minha vida", seguiu.
 
Mais uma vez, porém, Pagenaud reclamou da postura de Newgarden. Companheiros de Penske, os dois já tinham se tocado em Gateway, em lance que acabou garantindo pontos fundamentais para o americano na conquista do título. Em Sonoma, o francês voltou a se queixar do colega de time, dizendo que Newgarden foi muito agressivo ao tentar retomar a liderança a partir da volta 65.
 
"Fiquei assustado com o jeito que ele veio para cima de mim. Na curva 7, dei uma travada nas rodas e aí vi ele mergulhando. Fiquei pensando "cara, pega leve". Se acontece alguma coisa com ele ali eu era campeão. Se acontece alguma coisa com a gente, era o Dixon, então você precisa pensar no campeonato nessas horas. Mas eu admito que aquilo ali realmente estava mais confortável para mim do que para ele", completou.
 
O depoimento de Pagenaud vai totalmente na contramão do que falou Newgarden depois da corrida. Ali, o americano chegou a dizer que "lutou contra os próprios instintos" para se controlar e garantir o resultado que lhe daria o campeonato. Newgarden saiu campeão por 13 pontos de vantagem para o vice Pagenaud.
 
ALONSO SEM HONDA EM 2018?

É CAPAZ DE A TORO ROSSO IR BEM E A RENAULT FALHAR NA MCLAREN 

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube