Pagenaud sai de último, segura pressão de Dixon e vence movimentado GP de Iowa 1

Simon Pagenaud conquistou uma das maiores vitórias da carreira em Iowa. O francês largou de último e, com ótimo ritmo, uma estratégia certeira e sorte com amarelas, segurou Scott Dixon para triunfar. A McLaren veio logo atrás com Oliver Askew e Pato O'Ward

A corrida 1 em Iowa foi um verdadeiro show de estratégias, boas disputas e suspense até o final. Nesta sexta-feira (17), quem levou a melhor foi Simon Pagenaud, que venceu de forma inacreditável após largar na última colocação. O francês reuniu bom ritmo, a estratégia correta, sorte na hora da bandeira amarela de Will Power e, claro, uma bela defesa para segurar Scott Dixon.

A prova teve várias alternativas e, em vários momentos, favoritos diferentes. Uma coisa, porém, foi fato: a Chevrolet tinha um ritmo muito melhor que o da Honda para finalmente quebrar o 100% da Ganassi na Indy em 2020.

Pagenaud foi o melhor dentre os que adotaram uma estratégia intermediária entre a mais ousada e a mais conservadora. Logo atrás apareceu Dixon. O detalhe é que, na primeira metade da prova, o duelo entre os dois acontecia fora do top-10.

Simon Pagenaud venceu em Iowa (Foto: IndyCar)

A McLaren teve mais uma grande corrida. Com uma estratégia de parar antes e queimar tudo de pneus e combustível, teve seus pilotos indo aos boxes uma vez a mais que os rivais, mas ambos chegaram próximos da vitória. No fim, Oliver Askew foi terceiro e Pato O’Ward completou em quarto.

Josef Newgarden talvez tenha tido o melhor dos ritmos da corrida, mas tudo conspirou contra, novamente. Foram duas paradas lentas e, a segunda delas, jogou o americano uma volta para trás dos líderes na hora da amarela causada pela roda solta de Power. Aí, relargou bem e, no braço, foi quinto, na volta dos líderes.

Alexander Rossi sofreu muito sem pneus no fim, mas ainda salvou um sexto lugar para seguir se recuperando no campeonato. Jack Harvey, em grande exibição, foi sétimo, seguido pelo pole Conor Daly, pelo regular Marcus Ericsson e por Takuma Sato, que foi o primeiro a tentar o pulo do gato na estratégia.

A prova teve dois acidentes assustadores. No primeiro, a roda de Power passou muito perto do cockpit, algo que o aeroscreen fatalmente ajudaria. Logo depois, a peça entrou em ação, quando destroços dos carros de Colton Herta e Rinus VeeKay voaram.

Tony Kanaan vinha em boa corrida quando raspou o muro e danificou a suspensão. O brasileiro até voltou para a prova, mas bem atrás, completando em 18º.

O ótimo GP de Iowa tem mais uma corrida marcada. A largada deste sábado está prevista para 21h45 (em Brasília).

Oliver Askew venceria tivessem mais umas dez voltas (Foto: Indycar)

Saiba como foi a corrida 1 do GP de Iowa

A largada para a corrida 1 em Iowa aconteceu às 22h16 (em Brasília), com Josef Newgarden atacando, mas Conor Daly trancando a ponta e, mais do que isso, partindo para abrir uma certa margem logo de cara para cima do atual campeão.

Conor Daly segurou a ponta por 15 voltas (Vídeo: Indycar)

Na sequência apareciam Will Power, Colton Herta, Alexander Rossi e Takuma Sato. Chamava a atenção o trabalho de Simon Pagenaud, com um carro muito veloz. O francês saiu de último e, na volta 10 do oval curto, já deixava Scott Dixon para trás para ser 16º.

Enquanto Santino Ferrucci passava Jack Harvey para virar décimo com quase um toque acontecendo, Graham Rahal penava com o ritmo, ia parar em último e já ficava mais perto de tomar volta dos líderes que do pelotão. Na volta 17, Newgarden acabou com toda a vantagem de Daly e mostrou suas credencias: partiu por fora e fez uma linda manobra para liderar.

A noite ia caindo em Newton e aí, já na volta 25, Newgarden começou a deixar o tráfego para os rivais, se livrando tranquilamente de Rahal. Ali, a diferença para Daly já ficava em 2s4. Power apertava o americano, mas tinha também de cuidar dos ataques de Herta.

Newgarden seguia andando muito forte e se livrava de mais retardatários sem sofrer muito. Zach Veach e Marco Andretti logo ficaram para trás. A janela de paradas começou na volta 47, com Sato, que vinha em sexto, e Veach, o 22º.

Josef Newgarden tinha o melhor dos ritmos em Iowa (Foto: Indycar)

As paradas continuavam rolando, assim como a recuperação de Pagenaud, que já surgia na 13ª colocação e era um dos carros mais rápidos da pista. Aí, lá na frente, Power mergulhou e finalmente se livrou de Daly, tomando o segundo lugar e logo colando em Newgarden. O’Ward também passava Rossi para entrar no top-5.

Enquanto metade do pelotão já ia para os boxes e o carro de Andretti morria no pit-stop, um momento marcante na volta 68: Newgarden colocou uma volta em Dixon, em uma diferença bem grande de ritmo entre os dois. No giro 70, Power e Daly foram aos boxes, enquanto Newgarden fez o mesmo na volta seguinte.

A estratégia de parar algumas voltas antes rendeu bons frutos a Pagenaud, que voltou na frente até de Power e de Newgarden. Josef, aliás, teve um pit-stop lento e perdia a dianteira real para o australiano. Os dois logo passaram Pagenaud, que ficava com pneus um pouco mais gastos. Na frente, apenas Sato, que estava quase que em outra estratégia, além de Rosenqvist, que fez um stint inacreditável de mais de 80 voltas.

Quando Rosenqvist finalmente parou, na volta 84, a corrida tinha a seguinte ordem: Sato, 3s7 atrás vinha Power, 4s0 depois aparecia Newgarden, aí a dupla da McLaren com O’Ward e Askew, Pagenaud, Ferrucci, Rossi, Daly e Ericsson. Dixon era só 17º, uma volta atrás.

Pato O’Ward vive grande fase na Indy 2020 (Foto: Indycar)

Na volta 95, problemas para Kanaan. O brasileiro foi ficando para trás e se arrastou até os boxes, com um aparente problema na suspensão após uma raspada no muro que condenava completamente o que era uma boa exibição. Outro que se arrastava na pista era Veach, também com problemas. Na volta 100, ele, Marco e Kanaan já deixavam a briga real.

A Chevrolet lavava a alma em Iowa, mas não conseguia a liderança. No top-6, justamente só o primeiro colocado era da Honda, na estratégia ousada de Sato, que tentava repetir Gateway 2019. Power não tinha muito ritmo e, assim, já via Newgarden, O’Ward e Askew aparecerem na cola.

O primeiro dos ponteiros nos boxes foi O’Ward, na volta 122, tentando repetir o pulo do gato que Sato e Pagenaud deram na janela anterior. Askew parou no giro seguinte, enquanto, na pista, Newgarden finalmente se livrava de Power e retomava a segunda colocação.

Tony Kanaan teve problemas na suspensão e foi 18º (Foto: Indycar)

Sato parou no 127º giro, mas o traseiro direito ficou preso e bons segundos foram perdidos ali, poderiam ser cruciais. Power foi aos boxes na 137ª volta, praticamente obrigado porque perdeu tanto ritmo a ponto de ser passado facilmente por VeeKay e Pagenaud.

A parada de Newgarden acontecia na volta 139, mais uma vez de forma um pouco lenta. O momento era de jogo de táticas, com muitas diferentes na pista e carros em ritmos bem diversos pelos pneus.

Aí veio a primeira amarela da corrida e, sendo bem justo, Power não teve culpa. O australiano foi parar no muro, mas o pneu dianteiro esquerdo soltou, erro da Penske no pit-stop. Aliás, a roda passou bem perto do carro de Will, um belo susto. A amarela ali mexeu bastante com a situação da prova, ajudando nomes como Pagenaud, VeeKay e Dixon, que pararam com sobra para alguns dos rivais, como Newgarden, que perdia uma volta para os líderes.

O susto de Will Power em Iowa (Vídeo: Indycar)

Naquela amarela, apenas 11 pilotos vinham na mesma volta, muito pelas estratégias de paradas: O’Ward e Askew puxavam o 1-2 da McLaren, com Sato, Rossi, Daly, Pagenaud, VeeKay, Herta, Dixon, Ericsson e Harvey atrás. Newgarden era o líder dos retardatários.

Na volta 157, parecia que a bandeira verde viria, mas não veio. Só que faltou avisarem Herta. O americano acelerou e achou VeeKay, que estava em velocidade de amarela. O resultado foi um acidente assustador, com o #88 subindo no #21, decolando e indo parar na grade de proteção, no muro, enfim, um tremendo susto. Por sorte, ambos ficaram bem, mas totalmente fora da prova, com os carros destruídos. Amarela ainda e bem longa.

O acidente assustador de Herta e VeeKay (Vídeo: Indycar)

Detalhe ali da batida foi como voou pedaço para tudo quanto era lado, mostrando a importância do aeroscreen como proteção. Tamanho eram os estragos na pista, os pilotos foram passando por dentro dos boxes nas voltas seguintes. Eram nove na volta do líder, Newgarden em décimo.

A relargada finalmente veio com 80 voltas para o final e era hora de Newgarden aparecer. Com pneus mais novos, atropelou todo mundo que estava na frente e voltou para o giro dos líderes, torcendo por uma amarela. Entre os líderes, Askew tentou passar O’Ward, mas o companheiro fechou a porta e o americano ainda foi superado por Pagenaud, que tirou Sato da frente também sem problemas.

Na volta 178, Pagenaud assumia a liderança da corrida, fazendo uso de pneus em melhor estado. E escapava na frente com larga margem. Entre as McLaren, a briga seguia firme, até que Askew finalmente passou, na 190ª volta. Pato já ficava totalmente sem pneus e parava pela terceira vez.

Askew e Sato logo foram aos boxes também, para aquela que tinha tudo para ser a última parada de todo mundo. Com 50 voltas para o fim, o top-10 tinha: Pagenaud, Rossi, Dixon, Harvey, Daly, Ericsson e Newgarden na mesma volta, com Ferrucci, Rahal e Askew já retardatários.

E Dixon, hein? O líder do campeonato ia escalando, subindo de ritmo e, na volta 218, tirava Rossi da frente, para tomar a vice-liderança. Aliás, Alex parecia bem no fim dos pneus, com o carro escapando. Enquanto isso, Askew já recuperava a volta perdida e colava em Newgarden, buscando o sétimo lugar.

Enquanto quase que todo mundo se preocupava em não desgastar pneus e ficar sem combustível, Askew, O’Ward e Sato voavam na pista, já sem preocupações. Askew logo chegou em quinto, enquanto O’Ward e Sato ainda tentavam tirar a volta para Pagenaud e Dixon, com 20 voltas para o fim.

Perto de 15 voltas para a bandeira quadriculada, Dixon colou de vez em Pagenaud, botou de lado e quase assumiu a liderança. O francês trancou a porta e aí que O’Ward tirou a volta de atraso e começou a tentar retomar terreno.

Aquele movimento foi basicamente o último que Dixon conseguiu fazer efetivamente contra Pagenaud. O neozelandês até tentou novo ataque com duas voltas para o fim, mas ficou no quase. Vitória de último para primeiro de Simon.

Em terceiro e quarto, as McLaren voavam nos giros derradeiros, mas faltaram algumas voltas para a vitória. O primeiro pódio de Askew, de todo modo, saía. Newgarden, por sua vez, lutou de todas as formas para seguir no giro dos ponteiros, o esforço deu certo e, mais do que isso, o americano ainda limpou três rivais para ir ao top-5.

Indy 2020, GP de Iowa 1, Classificação Final:

1S PAGENAUDPenske Chevrolet1:41:25.294250 voltas
2S DIXONGanassi Honda+0.495 
3O ASKEWMcLaren Chevrolet+7.213 
4P O’WARDMcLaren Chevrolet+13.989 
5J NEWGARDENPenske Chevrolet+16.736 
6A ROSSIAndretti Honda+19.600 
7J HARVEYMeyer Shank Honda+20.048 
8C DALYCarlin Chevrolet+20.535 
9M ERICSSONGanassi Honda+20.738 
10T SATORLL Honda+1 volta 
11A PALOUDale Coyne Honda+1 volta 
12G RAHALRLL Honda+2 voltas 
13S FERRUCCIDale Coyne Honda+3 voltas 
14F ROSENQVISTGanassi Honda+3 voltas 
15E CARPENTERCarpenter Chevrolet+3 voltas 
16R HUNTER-REAYAndretti Honda+3 voltas 
17C KIMBALLFoyt Chevrolet+5 voltas 
18T KANAANFoyt Chevrolet+37 voltasNC
19C HERTAAndretti Honda+94 voltasNC
20R VEEKAYCarpenter Chevrolet+94 voltasNC
21W POWERPenske Chevrolet+108 voltasNC
22M ANDRETTIAndretti Honda+122 voltasNC
23Z VEACHAndretti Honda+155 voltasNC
Paddockast #70 | O QUE ESPERAR DA MOTOGP 2020?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube