Indy

Pole de 2014, Carpenter bate forte e capota durante último treino antes da classificação para 500 Milhas de Indianápolis

Pole-position nas 500 Milhas de Indianápolis nos últimos dois anos, Ed Carpenter sofreu um forte acidente durante a manhã deste domingo (17) no último treino livre antes da classificação para a prova mais importante do calendário da Indy. Apesar do voo, o norte-americano saiu ileso da pancada
Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
 Pole de 2014, Ed Carpenter bate forte e capota durante treino final em Indianápolis (Foto: AP)


Ed Carpenter, pole-position nos últimos dois anos em Indianápolis, sofreu um sério acidente na manhã deste domingo (17), durante o treino final antes da classificação para a Indy 500. O norte-americano escapou na saída da curva 2, bateu com força no muro de proteção externo e capotou. O carro ainda se arrastou até a parte interna do superoval.

Apesar da escapada espetacular, o piloto conseguiu sair sozinho do carro. Logo depois da forte pancada, Carpenter foi levado para o centro médico. E passa bem. É o terceiro acidente sério em Indy nesta semana.
Pole de 2014, Ed Carpenter bate forte e capota durante treino final em Indianápolis (Foto: AP)
Por conta dos detritos na pista e do dano na barreira de proteção, o treino está interrompido por bandeira vermelha. Por enquanto, o piloto mais rápido da sessão é Scott Dixon, com a marca de 38s626. Carpenter vinha na terceira colocação.

A 'mania' de decolar aumenta ainda mais a tensão em Indianápolis antes da classificação, previamente marcada para as 11h (de Brasília). Tudo começou com Helio Castroneves na última quarta-feira. O piloto da Penske perdeu o carro na saída da curva 1 e foi para o ar. No dia seguinte, Josef Newgarden fez o mesmo com o carro da CFH — equipe que é de Carpenter.

A direção da Indy foi obrigada a agir. A primeira determinação é de voltar a abertura do 'boost' do turbo dos motores ao tamanho dos treinos, caindo de 140 kPa para 130 kPa — quilopascal, medida de pressão e tensão. Na prática, vai representar uma perda de 40 a 50 cv.

Isso significa que a velocidade atingida por Castroneves no treino de ontem, 375,142 km/h, dificilmente será alcançada na classificação, ainda mais porque não haverá vácuo algum para ajudar.

Por conta disso, a Indy anunciou que vai adiar a programação do treino classificatório e dar mais um treino aos pilotos com a nova configuração do boost.

E, ao falar sobre o acidente, Carpenter não soube dizer especificamente o que causou a batida, mas deu a entender que as mudanças aerodinâmicas sofridas pelos carros para esse ano podem ter tido grande influência. O piloto também não escondeu o descontentamento com o cenário geral.  "Estou puto, e não posso dizer o que realmente quero agora. Mas acho que todos nós temos opiniões sobre o que está acontecendo", disse Ed, logo depois do incidente.

"Definitivamente, acho que temos um problema acontecendo que antes não tínhamos. Espero apenas que a categoria seja inteligente e possa reagir o mais rápido possível, para que não aconteçam mais coisas assim no futuro", completou.

O norte-americano também vai viver um drama na classificação de logo mais. O seu carro reserva é o terceiro na ordem para a tomada de tempo e não deve ficar pronto a tempo. Depois da alteração na programação por causa da chuva no sábado, a classificação foi encurtada e agora todos terão apenas uma tentativa para conseguir o tempo necessário para garantir uma posição no grid.

O GRANDE PRÊMIO acompanha as atividades em Indianápolis neste domingo AO VIVO e em TEMPO REAL.
VIU ESSA? CASTRONEVES DECOLA EM TREINOS EM INDIANÁPOLIS