Power e Daly apostam em Indy 500 com mais disputas que em 2018 e defendem carro novo em ovais

Will Power e Conor Daly acreditam que a edição de 2019 das 500 Milhas de Indianápolis será bem movimentada e com muito mais ultrapassagens que em 2018

A Indy 500 2019 promete fortes emoções. Depois de uma edição com poucas ultrapassagens e disputas, a principal corrida do calendário será disputa em temperaturas mais agradáveis do que os quase 40ºC de 2018 e, assim, para Will Power e Conor Daly, já tem tudo para voltar a ser o que era até 2017.
 
Após treinos livres que pareciam corrida, Will aproveitou para defender também os novos carros, apontados como maior fator pela corrida mediana de 2018. O australiano afirmou que os treinos livres mostraram como os bólidos podem andar tranquilamente em um pelotão próximo e usar bem o vácuo.
 
"Acho que teremos uma corrida apertada, não vejo ninguém escapando na frente. Ano passado só foi assim porque estava um calor absurdo, não tinha aderência. O carro novo pega vácuo tão bem quanto o antigo, talvez seja até melhor de guiar, a gente viu isso nos treinos livres. Se você tem um dos melhores carros, quer liderar e muito calor, mas se está com um carro normal, prefere mais ultrapassagens e ter uma chance de vencer", explicou Power.
Os treinos livres deixaram Power e Daly animados (Foto: IndyCar)

Conor lembrou o fato de que a Indy 500 nunca havia tudo uma prova com um calor tão forte quanto o de 2018 e, mesmo assim, tão dura para os pilotos controlarem os carros. Daly espera uma corrida melhor para todo mundo.

 
"Foi a corrida mais quente da história. Não dava para gerar downforce, a aderência era pouquíssima. E aí a corrida ficou mais dura. Do ponto de vista do piloto, uma das mais difíceis que eu poderia imaginar, mesmo não parecendo de fora, já que quase não teve ultrapassagem. Sinceramente, essa diferença de tantos graus faz muita diferença, aumenta muito o downforce. Espero uma corrida mais interessante para todo mundo", disse Daly.
 
Power é o atual vencedor da corrida, na edição que o próprio não achou grandes coisas. O australiano larga de sexto, enquanto Conor sai em um bom 11º lugar com a Andretti.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube