Indy

Askew bate Norman na linha de chegada e vence 100 Milhas de Indianápolis de tirar fôlego na Lights. Kohl é 7º

A Indy 100 viu uma corrida espetacular e uma chegada fenomenal. Oliver Askew terminou apenas 0s007 na frente de Ryan Norman, com os dois cruzando lado a lado após uma prova cheia de trocas de liderança e com um acidente feio entre David Malukas e Chris Windom. Lucas Kohl foi sétimo

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
As 100 Milhas de Indianápolis foram simplesmente espetaculares. Nesta sexta-feira (24), a principal prova da Indy Lights teve uma série de trocas de liderança, acidente forte, toques, ótimas disputas e uma chegada fenomenal. Ryan Norman bem que tentou, mas Oliver Askew faturou a vitória por meros 0s007, com ambos cruzando a linha de chegada lado a lado separados no detalhe.

Outros três pilotos terminaram menos de 1s atrás da dupla em uma corrida em que basicamente o grid inteiro teve momentos de chances de vitória. Rinus VeeKay, que mais tempo passou na dianteira, foi engolido pelos dois no finalzinho e chegou em terceiro.

Logo atrás do holandês vieram dois nomes que surgiram mais na parte final da prova, com impressionante ímpeto. Toby Sowery foi o quarto, enquanto Dalton Kellett fechou no quinto posto.

Jarett Andretti chegou na sexta colocação em sua única prova na Indy Lights, enquanto o brasileiro Lucas Kohl foi o sétimo. Robert Megennis conseguiu uma salvada de cinema para evitar um acidente com Sowery, mas perdeu ritmo no fim e deixou a disputa pelo triunfo, fechando em oitavo. 

Aaron Telitz saiu da briga ainda na volta de apresentação e só se arrastou até o fim, com giros de atraso para o resto do grid. David Malukas e Chris Window se encontraram ainda no início em um acidente forte.
Oliver Askew venceu a Indy 100 (Foto: IndyCar)
Saiba como foi a Indy 100

A Indy 100, principal prova do calendário da Indy Lights, começou já cheia de problemas. Antes mesmo da largada, Aaron Telitz teve problemas, apareceu rodado na pista e, ao recolher para os boxes, viu que os danos no carro eram dos maiores, com toda pinta de abandono antes mesmo de largar em sua única prova no ano na categoria.
 
Logo após o início da prova ter sido feito com bandeira amarela, a largada veio na volta 2, mas algo bem pior que o erro de Telitz rolou. David Malukas rodou e foi acertado por Chris Windom, que decolou. Ambos foram juntos se arrastando pela pista, com Windom passando ao lado da tela. 
 
O acidente foi horroroso e Malukas demorou consideravelmente para sair do carro, algo que Windom conseguiu de forma ligeira. No entanto, o impacto e os detritos na pista foram tantos que forçaram a direção de prova a acionar a bandeira vermelha na sexta volta, parando as ações.
 

Assim, todos os carros iam para os boxes e a prova garantia mais voltas em bandeira verde nas 40 programadas. Ryan Norman, no tumulto todo, conseguiu passar Robert Megennis e assumir a dianteira, enquanto Dalton Kellett vinha no terceiro lugar. Rinus VeeKay, Oliver Askew, Toby Sowery, o brasileiro Lucas Kohl e Jarett Andretti eram os demais pilotos na prova.

Após bons minutos de bandeira vermelha, a bandeira amarela tornou a ser acionada e os pilotos saíram dos boxes, inclusive Telitz, substituto de Zachary Claman DeMelo que estava de volta com cinco voltas de atraso. Apenas Windom e Malukas estavam fora.
 
A relargada veio na volta 8 e os dois primeiros mantiveram suas posições, com Norman se defendendo de Megennis. Quem saiu muito bem foi Askew, deixando VeeKay e Kellett para trás. Aliás, Dalton seguia caindo e não demorava para perder terreno para Sowery. Andretti e Kohl fechavam a fila dos pilotos na mesma volta.
 
A partir da volta 11, a corrida mudou de característica e teve o melhor estilo 'pack race', com Norman caindo um pouco e isso sendo o suficiente para virar quarto. Megennis, Askew, VeeKay e o próprio Norman iam andando lado a lado e começavam um revezamento de líderes.
Ryan Norman perdeu no detalhe (Foto: IndyCar)
Enquanto os quatro seguiam se pegando, Sowery e Kellett conseguiram entrar no bolo e o pelotão da frente virou uma batalha de seis carros. E tinha espaço ainda para Andretti e Kohl, que pouco a pouco foram encostando.
 
VeeKay e Norman se destacavam um pouquinho dos demais, mas chamava a atenção a corrida bem agressiva de Sowery. Kohl também se aproximava e os oito estavam separados por impressionantes 2s3.

Norman e VeeKay passavam a metade das 40 voltas ainda um pouquinho na frente do resto, mas o resto já passava a ser comandado por Sowery, que botava seu carro amarelão na cola dos ponteiros.
 
Os seis primeiros voltavam a andar como se não tivesse distância alguma entre eles. Andretti e Kohl chegavam bem mais perto do que antes e o pelotão comandado por VeeKay crescia.
 
A prova entrava em seu quarto final e aí Megennis protagonizou uma das maiores salvadas dos últimos tempos. Tocando roda com Sowery, o #27 rodou e, quando parecia condenado a uma pancada no muro, conseguiu ajeitar o carro e seguir na prova. Ambos conseguiram escapar praticamente ilesos, mas a bandeira amarela saiu por garantia.
Robert Megennis foi tocado por Toby Sowery, mas se recuperou (Foto: Reprodução)
A bandeira verde voltou com oito giros pela frente e Norman foi para cima de VeeKay, retomando a dianteira. Só que, do nada, surgiu de novo Sowery, escalando até terceiro, mas que virou quarto com um Kellett que chegou atropelando todo mundo e foi parar em segundo.

Mas logo Kellett tornou a cair ao partir para cima de VeeKay e, de repente, quando a corrida chegou aos três giros derradeiros, Norman e Askew foram juntos decidir quem ficaria com o triunfo, com Rinus perdendo um pouco de espaço.

Os dois pilotos da Andretti foram lado a lado trocando de posição, buscando o melhor espaço, até que entraram na reta final juntos e assim foram até a linha de chegada. Deu Askew por inacreditáveis 0s007.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.