Primeira sequência sem pódio de Dixon acende luz no fim do túnel para Newgarden

Ainda está muito difícil imaginar que Scott Dixon perca o título para Josef Newgarden, mas o neozelandês deu a primeira brecha, ainda que pequena, para uma reação final do americano

Josef Newgarden não venceu, mas tem motivos para ao menos abrir um sorrisinho após a corrida 1 da rodada dupla da Indy em Mid-Ohio. Neste sábado (12), o americano chegou em segundo, viu a Penske dominar completamente as ações e, principalmente, teve o rival Scott Dixon, em décimo, dando uma pequena, mas importante brecha que não tinha aparecido em momento algum na temporada 2020. Ainda é pouco, ainda é complicado, mas o fio de esperança do tricampeonato foi mantido.

São 76 pontos de diferença de Dixon para Newgarden com quatro corridas para o fim, uma vantagem que é bastante significativa e uma das maiores que a categoria viu nos últimos anos. Na prática, Josef precisa tirar 19 pontos a cada prova, ou seja, repetir quase que exatamente o que aconteceu em Mid-Ohio 1, quando o americano fez 20 tentos a mais que o rival. Improvável, sim, mas não impossível.

A luz no fim do túnel surge em um momento de vacilo de Dixon que ainda não tinha acontecido em 2020. Explicamos: décimo em Mid-Ohio após um quinto lugar na corrida 2 de Gateway, foi a primeira vez no ano que o neozelandês emendou duas corridas seguidas sem um pódio. E o outro lado da história tem Newgarden, que venceu a segunda prova de Gateway e hoje chegou em segundo, tendo sua primeira sequência de pódios na temporada. Em linhas gerais, o inédito dissabor de Scott com o inédito sucesso de Josef deram uma ligeira mudada no panorama.

Josef Newgarden: o pulso ainda pulsa (Foto: Indycar)

E aqui vale dizer uma coisa que muitas vezes passa batido: ainda que Newgarden não esteja nem perto da campanha de seus dois títulos, faz uma temporada muito sólida. O que tem feito a diferença, na maior parte das vezes, não é o desempenho do americano, mas o da Penske, que deixou de entregar um carro vitorioso em algumas oportunidades. Josef não está voando, só que, tivesse um equipamento melhor, poderia muito bem estar comandando as ações.

“Foi um dia positivo. Tive a sorte que ultrapassar Ryan [Hunter-Reay] logo na largada. Gostaria de ter ido melhor. Dava para ver o tempo inteiro que brigava para ser segundo. Conquistamos bons pontos, mas um degrau mais alto seria uma ótima diferença”, avaliou Newgarden, que sabe que, para ter o tricampeonato, vai precisar de vitórias.

Por outro lado, um Dixon que tem a Ganassi vivendo sua melhor forma em muito tempo, mas que é parte fundamental da engrenagem. Hoje não foi o dia do neozelandês, que classificou muito mal e pouco fez na corrida, mas foi exceção em um campeonato que é praticamente perfeito de alguém que, lá atrás, iniciou com três vitórias em três provas. Tem créditos de sobra.

“Foi um dia bem interessante. Ainda não sabemos o que rolou na classificação, talvez um conjunto ruim de pneus. Largar lá atrás tornou o dia duro. Fizemos um movimento cauteloso e andamos com os pneus macios antes baseado no que vimos na classificação. Olhando para trás, deveríamos ter feito o contrário, mas quem vai saber? Ganhamos várias posições na largada, mas o stint do meio nos prejudicou muito porque os outros caras estavam com macios. No fim do dia, ganhamos sete posições, foi uma pequena vitória”, observou Dixon, com todos os motivos do mundo, pelo copo meio cheio.

Scott Dixon ficou apenas em décimo (Foto: Indycar)

Aliás, não foi só para o duelo Newgarden x Dixon que o GP de Mid-Ohio 1 foi importante. Mesmo com um dia ruim do líder, Pato O’Ward e Takuma Sato foram ainda piores que o neozelandês, algo que não poderia acontecer de forma alguma caso sonhassem com o título. Mais de 120 pontos atrás do líder, o garoto e o veterano, por melhores que estejam, não seguem mais no páreo.

Entrando cada vez mais no momento de decisão do título, a Indy agora tem um cenário bem claro: tudo leva a crer no hexa de Dixon, que é justamente o cara mais regular do grid, que não deve repetir os tropeços da corrida 1 de Mid-Ohio. Do outro lado, o desafiante Newgarden parece viver seu melhor momento e precisa de vitórias, não pode mais sair do pódio até a final em St. Pete.

76 pontos em quatro corridas é muita coisa, não é impossível que a situação se torne irreversível ainda neste domingo em Mid-Ohio, mas a brecha, por menor que seja, finalmente apareceu para o americano. Agora, mais do que fazer a sua parte com toda a eficiência do mundo, o Newgarden torce para que 2015 se repita, mas que ele seja Dixon e Dixon seja Juan Pablo Montoya, na maior refugada recente da Indy na corrida por um título. Caso ela não aconteça, Scott será hexacampeão.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube