McLaughlin mantém pés no chão após vitória: “Posso muito bem ser o 20º na próxima”

Scott McLaughlin venceu sua primeira corrida na Indy em São Petersburgo e está animado para os próximos circuitos de rua, mas sabe o quão competitiva é a categoria americana

GUIA INDY 2022: FAVORITOS, NOVATOS E EXPECTATIVAS

Scott McLaughlin abriu a temporada de 2022 na Indy de maneira muito forte, vencendo pela primeira vez na categoria americana, em São Petersburgo, na Flórida. O resultado surpreendeu o próprio neozelandês, que lembrou a meta inicial com a Penske e definiu a corrida em uma palavra: perseverança.

“Inesperado, eu acho. Antes do final de semana nosso objetivo era um top-7 e, obviamente, a meta foi alterada depois da classificação. Mas foi simplesmente fenomenal a forma com que o carro se comportou na pista, eu senti que poderia fazer o que quisesse com ele desde o início”, disse McLaughlin na entrevista coletiva após a prova.

“Tive de controlar a corrida e senti que fizemos isso até a volta em que os retardatários deixaram as coisas emocionantes, o que deve ter sido legal para quem estava assistindo, mas não foi para mim”, reconheceu. “Mas foi um final de semana fenomenal. Perseverança, você não desiste, não duvida de si mesmo, eu sabia que poderia conseguir”, completou o piloto do carro #3. 

 ▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

McLaughlin segurou Palou para vencer em St. Pete (Foto: Indycar)

McLaughlin tinha um segundo lugar no Texas como melhor resultado em 2021, na sua temporada de estreia na Indy. Aquela corrida foi sua primeira em ovais, mas, atualmente, o piloto de 28 anos está mais ansioso para o próximo circuito de rua, em Long Beach, do que para voltar ao circuito da estrela solitária.

“Entendo que a maneira com que trabalhei com Ben Bretzman, meu engenheiro, acho que podemos começar a trabalhar no que realmente precisamos. Nós sabemos o queremos em um carro para pista de rua, mostramos que será muito bom, então estou empolgado para Long Beach. Estou indo para lá apenas pela segunda vez”, lembrou.

O piloto da Penske também não quer deixar a vitória subir à cabeça. McLaughlin sabe que a Indy é extremamente competitiva, e pequenos detalhes podem mudar drasticamente o resultado de uma corrida.

“Mas não estou me enganando. Posso muito bem ser 20º na próxima prova, a Indy é assim. É por isso que todo mundo adora, e o motivo de estar se tornando a categoria mais competitiva do automobilismo mundial. Então tenho orgulho de ser parte disso”, explicou o neozelandês.

“Mas agora, vou comemorar, beber algumas cervejas, mas não se preocupe com isso. Vou me assegurar de subir de volta no cavalo, ou melhor, no simulador na quarta-feira, e me preparar para o Texas e depois para Long Beach”, finalizou. 

Líder do campeonato, McLaughlin agora tem três semanas antes da próxima corrida, o GP de Texas, que ocorre no dia 20 de março.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar