Veteranos contrariam Wickens e defendem permanência de Pocono na Indy

Contra a maré de alguns pilotos, Scott Dixon, Will Power e Simon Pagenaud deram diferentes argumentos para Pocono permanecer no calendário da Indy. Prova ainda não está garantida para 2020 e acidente na largada reforçaram pedidos para remoção do circuito do calendário

O forte acidente na largada das 500 Milhas de Pocono engrossou as discussões sobre a permanência do ‘Tricky Triangle’ no calendário da Indy. Apesar de figuras como Robert Wickens [que ficou paraplégico em batida no circuito], Sage Karam, Matheus Leist e Max Chilton se posicionarem contra a continuidade da corrida, alguns grandes nomes da categoria são a favor.
 
Em coletiva de imprensa realizada após a corrida de ontem, Scott Dixon, pentacampeão e segundo colocado na prova de 2019, mostrou tristeza pela possível saída de Pocono, que ainda não teve contrato renovado para 2020, e afirmou que os acidentes de Justin Wilson e Wickens poderiam acontecer em qualquer outro circuito.
 
"Honestamente, eu me sinto mal por Pocono. As pessoas que trabalham aqui são fantásticas, eles dão muito duro. Senti que o clima do público antes da corrida era começar. Estão começando a ganhar momento aqui e espero continuar", declarou o neozelandês.
"Alguns erros aconteceram na pista, mas poderiam ter acontecido em qualquer lugar. Se você olhar os casos de Justin e Robbie, poderia ter acontecido em qualquer lugar. Me sinto mal pelo clima que ficou. Acho que os pilotos, em várias situações, poderiam fazer um trabalho melhor para ajudar a situação", completou.
 
Will Power foi o vencedor da corrida. Com três triunfos em Pocono, o australiano defendeu a pista por ser uma dos poucos ovais em que o carro atual da Indy se adapta bem, além do aumento de público em comparação ao ano passado.
 
"O público vem aumentando 15% a cada ano. Está melhorando. Como o Scott disse, o público foi ótimo hoje. É uma ótima pista para correr, espero voltar. Acho que os caras fazem um grande trabalho. É uma pista legal para nós, é difícil achar ovais nos dias atuais que se adaptam aos nossos carros", citou Power.
Will Power (Foto: Indycar)
Simon Pagenaud, que completou o pódio no terceiro lugar, crê que Pocono é um importante mercado para a Indy, já que é o circuito mais próximo de Nova York. E citou também que acidentes em altíssima velocidade sempre serão fortes.
 
"Não tenho muito a adicionar, acho que eles já disseram tudo. É uma lista legal de se pilotar. Falta sorte, mas é próximo de Nova York, um excelente mercado para a Indy. É uma oportunidade de trazer o público de lá para corridas da Indy. Particularmente, eu adoro superspeedways. Óbvio que quando a velocidade é muito alta, você sabe que vai bater forte", disse o francês.
 
"Espero voltar e continuar trabalhando com o pessoal em Pocono, porque é bem divertido. Corro aqui desde 2013 na Indy, gosto mais a cada ano. Vamos ver o que acontece. Como piloto, realmente gosto de vir aqui", concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube